Garanhuns, 22 de maio de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO CULTURAL

Carlos Janduy


Mostra de Artes Cênicas

No próximo dia 31 terá início a XI Mostra de Artes Cênicas de Garanhuns, evento que também tem a finalidade de selecionar os espetáculos que farão parte da programação oficial dos XIV Festival de Inverno em Garanhuns.

As inscrições estão sendo feitas no Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti desde o dia 07 de maio e ficarão abertas até o dia 30. Poderão ser classificados três espetáculos (Teatro Adulto, Teatro Infantil e Dança), sendo um de cada categoria.

Todos esses anos, a Mostra tem levado um bom público ao Teatro Luís Souto Dourado, prova de que os grupos teatrais que participam do evento prezam pela qualidade de suas montagens.

O ano passado foram classificados os espetáculos "A Décima Oitava Hora", de Gerson Lima, dirigido pelo autor, e "Folia dos Três Bois", de Sylvia Orthof, com direção de Sandra Albino, montados, respectivamente, pelos Grupos Órion e Diocesano de Artes.


Circuito Pernambucano de Artes Cênicas

De 07 a 11 de junho, será realizado, no Centro Cultural, o IV Circuito Pernambucano de Artes Cênicas. O evento, que até novembro terá passado por 19 municípios do interior, leva para cada cidade oficinas de Dança, Teatro e Arte-educação, com professores especializados e apresentações inéditas de Grupos Pernambucanos.

O Circuito é uma realização da Funcultura Pernambuco (Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura) e Secretaria de Educação e Cultura do Estado de Pernambuco.

Mais informações: (81)3423-7075.


Ney e Pedro:encontro de gerações

"Há sete anos, o músico Ronaldo Bastos levou Ney Matogrosso a um show de bandas novatas numa casa noturna carioca. O cantor gostou muito do que ouviu quando Pedro Luís e seu grupo A Parede subiram no palco. De lá pra cá, uma boa amizade foi selada entre Ney e Pedro. Agora, o encontro deles, dá origem ao CD Vagabundo, um rebento pop-dançante, fruto de um caldeirão de ritmos nacionais".


Movidos a som

Após três anos do acidente de ultraleve com Herbert Viana, os Paralamas do Sucesso já fazem tantos shows quanto antes da tragédia. Herbert voltou a cantar, tocar, compor e a dirigir o próprio carro. Seu segredo: a vontade de continuar fazendo música.

"Uma forma de não pensar no pior era não pensar, em momento algum, que a gente não voltaria a tocar. A questão era saber quando voltaríamos a tocar", comentou Bi Ribeiro, em entrevista dada à Revista Oi.


Equilíbrio Inexato

Equilíbrio Inexato, formado por Gorki Mariano, Isnaldo Júnior e Paulo "Mufula", lançou o seu primeiro CD, que tem o título do grupo. O trabalho contou com a participação de Papito (percussão), Kadna (flauta transversa), João Nogueira (clarinete), que também assinou alguns arranjos, e o coral composto por Amália, rosa, Fernanda e Rosária.

Gorki Mariano, cearense de Juazeiro do Norte, é geólogo, professor da UFPE, escritor. Sua convivência com o agreste e o sertão nordestinos é fonte constante de inspiração; tem três livros publicados: Fruto, Pedra do Martelo e Pedra Furada.

Paulo "Mufula", também geólogo e professor da UFPE, nasceu em Cupira-PE; aprendeu a tocar violão como autodidata, com o incentivo de sua mãe, D. Minervina. Elomar Figueira, Luiz Gonzaga, Geraldo Vandré, Geraldo Azevedo, Jackson do Pandeiro e Sérgio Ricardo são suas principais fontes de inspiração.

Natrural de Recife-PE, Isnaldo Júnior é engenheiro mecânico da Petrobrás e está radicado no Rio de Janeiro. Toca violão desde tenra idade, tendo sido orientado pelo pai e o tio Ivan. Pelas mãos do violonista Ednaldo Queiroz (pernambucano de Bodocó, há quatro anos residindo e fazendo sucesso nos Estados Unidos), Isnaldo fez curso de extensão de música no Centro de Artes da UFPE, por dois anos. Geraldo Azevedo, Luiz Gonzaga, Toquinho e Antônio Carlos Nóbrega são artistas que o inspiram.

O trabalho, lançado pelo trio, traz a bela poesia de Gorki, musicada por seus parceiros "Mufula" e Isnaldo, que através, principalmente do xote, ritmo predominante no repertório do CD, faz de Equilíbrio Inexato, mais uma reunião de amigos, em que a boa música nordestina é tratada como merece.

As informações para elaborar essa matéria foram cedidas pelo Dr. Edson Leite, renomado odontólogo de Garanhuns, que nas horas vagas também se dedica à música.