Garanhuns, 08 de maio de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO & MÍDIA

Ronaldo César


O brega e o Pau-Pombo

Sinceramente, não acredito que o Pau-Pombo tenha nascido para escutar bandas de brega e forró "estilizado" que apostam nesse nicho de mercado fonográfico e de shows, com todo respeito a essas bandas, mas cada um tem seu perfil de palco e aquele parque, identificação da história de nosso povo e apêndice verde de nossa cidade, que outrora servia de ambiente para leituras, serestas e saraus, não pode se perder em caixas acústicas estourando som entre garrafas de cachaça.

Como fonte turística de Garanhuns, o Parque Ruber Van der Linden, popularmente Pau-Pombo, talvez seja o local mais visitado, por turistas e também pelo próprio garanhuense. O seu verde, locais aprazíveis e iluminação nostálgica transformam o parque no sinônimo de Garanhuns, o que de melhor temos para oferecer.

Em dez dias de Festival de Inverno levamos para o Pau-Pombo o melhor da música e muita gente confere àquele espaço o título de melhor palco do evento, em nenhum outro lugar o vinho é mais gostoso, a música melhor ambientada e a natureza se intercalando com as execuções musicais na admiração dos visitantes. Acabou o festival, acabou a magia. Voltamos a condenar o parque ao absoluto desprezo artístico. Não podemos abrir mão desse potencial e ainda transformá-lo num ambiente que fere a idéia que o turista faz dele. Enquanto a atmosfera é lúdica, a música é trágica.

Queria ver encontros de corais religiosos naquele ambiente. A volta dos saraus. Até missas e cultos têm mais a oferecer ao parque que bandas de forró estilizado. Ou ainda, que a proposta do Festival de Inverno fosse estendida para outras épocas do ano, com mostras de músicas instrumentais, solos de violinos, violões, percussionistas, etc.


Forró Pesado

A banda garanhuense Forró Pesado, representante do verdadeiro Pé-de-Serra, lança este fim de semana o seu primeiro CD. Com dificuldade e perseverança, a banda mostra um trabalho com músicas de grandes nomes nordestinos e compositores locais. Contatos com Beiju no Colunata.


Feneart

Dra. Ielma Lucena está inscrevendo artesãos para participar da maior feira nordestina de artesanato. Contatos no fone 3761.1429.


Estado, nem tanto, Suicida

Os rockeiros estão se movimentando e cada vez mais criando palcos para suas apresentações. Dessa vez será na Barão do Rio Branco, no prédio onde funcionou a Concessionária Honda. Será no próximo sábado, dia 15, e ingressos à venda na locadora Século XX.


FIG I

A Fundarpe está recebendo inscrições dos músicos que queiram se apresentar no Festival de Inverno de Garanhuns. Um release e CD devem ser entregues na Rua da Aurora em Recife, na própria Fundarpe.


FIG II

Se o Festival é em Garanhuns, o músico da região e a Fundarpe pernambucana, porque o artista tem que se deslocar para a capital? Acredito que informações podem conseguidas na diretoria de cultura do município.


Joana D'arc

O Colégio Santa Joana D'arc, da Cohab II, que tem à frente a incansável professora Maria Almeida, está aniversariando. São dezenove anos de trabalho dedicado aos alunos e comunidades adjacentes ao colégio.


X Festival Nacional da Seresta

Está acontecendo no Recife o X Festival da Seresta, evento criado e realizado no revigorado Bairro do Recife, repetindo o sucesso a cada ano.


Hecatombe

Em recente entrevista ao programa Entrevista Coletiva, da Estação Sat, o coordenador do Sintepe para o Agreste Meridional, afirmou estar em fase de conclusão de um livro que reconta o trágico acontecimento que marcou Garanhuns. Cláudio conversou com familiares de pessoas que tiveram direta participação nos acontecimentos e disse que recebeu vários documentos e apoios que dão mais respaldo ao seu romance.


Contatos com esta coluna:
entrevistacoletiva@bluenet.com.br
www.bluenet.com.br/entrevista