Garanhuns, 24 de abril de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

Redução das desigualdades

Revoltados com a possível redução do número de vereadores em Caruaru, já que pela decisão do TSE a bancada passaria de 21 para 14, os parlamentares da capital do agreste resolveram radicalizar.

Os vereadores da terra de Vitalino aprovaram uma indicação, enviada ao Supremo Tribunal Federal e ao Tribunal Superior Eleitoral, propondo a redução do número de deputados federais e de senadores.

Atualmente são 513 deputados federais e os vereadores de Caruaru acham que 270, ou 10 por estado, seriam suficientes. São três senadores por estado e os vereadores consideram que dois por unidade da federação dariam conta do serviço.

É lógico que uma proposta feita pela Câmara de Caruaru não tem força em Brasília. Mas seria muito interessante que alguns parlamentares federais encampassem essa idéia. Eu não sei se o número ideal seria esse, de 270 deputados federais, mas que tem deputado demais na capital federal, disso não tenho a menor dúvida.

Vocês já pensaram na economia que se faria no país se fossem reduzidas oito mil vagas de vereadores, mais de duzentas vagas de deputados federais, um número substancial de deputados estaduais e quase trinta vagas no senado?

A democracia não seria atingida, porque os parlamentos continuariam funcionando normalmente, até tendo mais respeito da população, e com certeza sobraria um bom dinheiro para investir nos hospitais, construir escolas, fazer casas populares, etc.

Na realidade o Brasil é um país de muitos pobres, com milhões vivendo na miséria, mas a mordomia impera nas casas legislativas, no Executivo e nos tribunais ligados ao Judiciário.

Se todos ou pelo menos alguns estivessem dispostos a abrir mão de suas mordomias, certamente as desigualdades sociais poderiam diminuir.

Ponto de Vista apresentado no Jornal da Sete durante esta semana.