Garanhuns, 13 de março de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

Os 70 anos de Ivo

José Rodrigues


No último dia 13 de fevereiro deste ano Ivo Tinô do Amaral completou setenta anos de idade. Ivo nasceu no município de Lajedo. Ainda menino veio residir em Garanhuns, em virtude de o seu genitor, Sr. Ismael Tinô e Silva, ser funcionário público e de sua genitora, D. Francisca Amaral Tinô, exercer a função de dona de casa. Jovem ainda, Ivo foi internado no Colégio Diocesano, onde aprendeu as primeiras letras e viveu muitos anos sob a batuta do monsenhor Adelmar da Mota Valença, diretor do mencionado educandário.

Namorador, na época, logo logo aproximou-se da jovem Edjenalva, com quem namorou e casou e de cujo enlace nasceram oito filhos. Ivo sempre sonhou em entrar para apolítica e, seguindo orientação de Amílcar Valença, elegeu-se vereador, vice-prefeito, prefeito e deputado estadual. Como prefeito, podemos dizer que ele foi, talvez, o maior e mais completo administrador que Garanhuns já teve em toda a sua história. Construiu escolas e ergueu pontes em toda zona rural. Foi iniciador e construtor de ruas asfaltadas; dotou a cidade de iluminação pública a vapor de mercúrio; pavimentou e dotou ruas com galerias para a drenagem de águas pluviais; implantou o famoso relógio de flores; e criou o Festival de Inverno e a Garanheta - eventos hoje já devidamente consolidados - como forma de estímulo ao desenvolvimento da atividade turística em nosso município.

Ivo criou postos de saúde e uma infinidade de outras obras de cunho social que serviam e ainda servem ao povo da cidade e dos distritos. E isso tudo foi feito com a participação do funcionalismo, sempre prestigiado e valorizado nos períodos em que Ivo esteve à frente dos destinos de Garanhuns. Todas essas realizações fizeram com que ele, mesmo fora do poder, continue sendo querido e admirado por todos.

Os setenta anos de Ivo Amaral ainda estão sendo comemorados por sua esposa Edjenalva, mulher exemplar, companheira e fervorosa admiradora desse homem que sempre soube lhe dar carinho e amor. Os seus oito filhos também não escondem a imensa alegria pelos setenta anos de lutas e vitórias de um pai cuja vida toda tem sido dedicada à causa pública, mas de um pai sempre presente e que muito investiu na busca da felicidade para toda na sua família.

E nós, seus amigos, o que sentimos e devemos dizer a Ivo?

Sentimos e devemos dizer o mesmo que estão sentindo e dizendo os seus familiares. Diremos que ele tem se revelado o amigo de sempre, e sempre pronto a servir as pessoas que lhe procuram. Mesmo fora do poder ele continua servindo a Garanhuns e sua gente. Pelo muito que tem feito, Ivo recebeu, recentemente, uma importante comenda da Loja Maçônica Mensageiros do Bem, instituição que tem como seus integrantes, homens da mais alta envergadura moral. A Maçonaria é uma entidade da maior respeitabilidade no mundo inteiro e sempre foi mediadora na solução dos mais graves conflitos sociais, saindo sempre vencedora.

A vida é cheia de altos e baixos, levando aos homens alegrias e decepções. Ivo não poderia escapar dos encontros e desencontros. No entanto, de um modo ou de outro, o número e a intensidade de alegrias recebidas pelo aniversariante tem sido maior que o das tristezas.

A Ivo dedicamos o seguinte verso:

Quem passou pela vida em brancas nuvens
E em plácido repouso adormeceu
Quem nunca sentiu o frio da desgraça
Quem passou pela vida e não sofreu
Foi espectro de homem e não foi homem
Passou pela vida e não viveu