Garanhuns, 13 de março de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


A CAMPANHA COMEÇOU

Antes mesmo de o prefeito Silvino Andrade anunciar seu candidato à sucessão municipal, a campanha política em Garanhuns começou. E teve início pela entrevista de Bartolomeu Quidute no Jornal da Sete, quando este acusou seu sucessor de estar por trás da decisão da Justiça que penhorou seus bens e o obriga a devolver aos cofres públicos 74.447 UFIRs, afora uma multa de 2.000 mil UFIRs.

A entrevista levou Silvino Andrade a convocar uma coletiva para esclarecer os fatos e revelar algumas coisas erradas praticadas na gestão do seu antecessor. O assunto agora vai render, de um lado e de outro, e cabe ao povo ter discernir onde está a verdade e na eleição repudiar quem estiver mentindo ou quem tiver lesado o município.

A briga entre Bartolomeu e Silvino termina por favorecer os candidatos independentes, como o promotor Alexandre Bezerra (PT), o socialista Paulo Camelo (PSTU) e até certo ponto o vice Márcio Quirino (PDT), que apesar de ter sido eleito junto com o atual prefeito está afastado dele desde o início do atual governo.

Mesmo Jorgee Branco (PFL), ex-secretário de Turismo, e Adolfo Lopes (PV), que sempre teve boa relação com o prefeito, podem faturar em cima da lavação de roupa suja envolvendo Silvino e Bartó.


CULTURA

Quando esteve na Sete Colinas, recentemente, para uma entrevista, o prefeito Silvino Andrade disse ao colunista e ao seu secretário de Comunicação, o simpático e eficiente Roberto Cardoso: "esse negócio de cultura não tem futuro em Garanhuns. É coisa pra Belo Jardim ou Caruaru".


CULTURA II

Pelo que afirmou o prefeito são inúteis ou desnecessários os livros de Luís Jardim, a Academia de Letras local, os escritos de Luzinete Laporte, a poesia de Paulo Gervais, Carlos Janduy e Marília Jaqueline, as crônicas de João Marques, os romances de Mário Rodrigues, as pinturas de Sueli Medeiros e Socorrinho, a música de Dominguinhos, Toinho Alves e Audejan, a banda de pífano do Castainho, o passado da Manoel Rabelo, a arquitetura de Marcílio Maia, a prosa de Marcílio Luna, a perfomance de Lilian Ferreira e Kelianne Pereira, os contos de Nivaldo Tenório e Roberto Cardoso, a voz de Karla Sibele, o talento de Maurilinho, a criatividade de Gerson Lima e Marcelo Jorge, a história dos colégios XV e Diocesano, os 70 anos de O Monitor, os 115 números do Correio Sete Colinas e o próprio Festival de Inverno.


SÃO JOSÉ

O prefeito de Capoeiras, Maurílio Rodolfo, o Nenen, investiu pesado na festa de São José, padroeiro da cidade. Contratou atrações de peso para o evento, dentre eles a cantora Elba Ramalho. Mas o seu opositor, Dudu, foi esperto. Com 20 dias de antecedência colocou nas rádios de Garanhuns um comercial sobre a festa - muito bem produzido pelo Vando Pontes - que liga a sua imagem, o seu nome ao evento. A campanha na cidade vizinha começou mais cedo.


PREVISÃO

O empresário Luís Carlos de Oliveira é um homem de bem, que tem todas as condições de disputar a prefeitura de Garanhuns. E com certeza seria um bom prefeito. Agora, não tem jeito de político e se eu não estiver enganado caso seja escolhido como o candidato de Silvino será "engolido" pelos outros e o atual ocupante do Palácio Celso Galvão poderá passar por um verdadeiro vexame.


BRINCADEIRA

O vereador Givaldo Calado saiu-se muito bem na entrevista que concedeu ao Jornal da Sete 2ª Edição, na FM Sete Colinas. Só cometeu uma falha grave: foi quando disse que disputou a eleição dee Garanhuns, em 1988, por brincadeira. Agora em 2004, será que é pra valer?


ASFALTO

Na concorrida entrevista que deu ao Jornal da Sete, o ex-prefeito Bartolomeu Quidute disse que preferia que sua rua não tivesse sido asfaltada pelo prefeito Silvino. "Seria melhor se ele tivesse feito obras na periferia, na Várzea ou em Manoel Chéu", disse Bartó.


FESTIVAL

Palmeirina tem até o final desta semana o seu primeiro Festival Cultural, promovido pelo Eudson Catão, da Visão Artes e Produções. A festa já nasce com polêmica, pois o prefeito do município não permitiu que a mesma fosse feita no centro da cidade.


PROMOTOR

Mesmo que não tenha o apoio de Silvino, o promotor Alexandre Bezerra será candidato a prefeito de Garanhuns. Ao seu lado terá 21 candidatos à Câmara Municipal e o apoio de sindicatos, profissionais liberais, professores e setores da sociedade que preferem um candidato independente.


O VICE

Na mesma semana em que anunciaram Gedécio como vice de Bartolomeu, o acordo entre o vereador e o vice-prefeito foi atropelado. Márcio Quirino se mexeu, conseguiu a vinda de José Queiroz a Garanhuns e saiu fortalecido para disputar a prefeitura pelo PDT.


PLANEJAMENTO

Médico e presidente da Unimed do Agreste Meridional, Alcindo Menezes vem se destacando como um atento observador da cena política local. Filiado ao PL, ele cobra propostas e planejamento por parte dos políticos que pretendem disputar a prefeitura de Garanhuns em 2004.


CHUMBO GROSSO

Políticos ligados ao Palácio Celso Galvão disseram ao colunista que as irregularidades apontadas pelo TCE sobre a prestação de contas de Bartolomeu Quidute em 1995 são fichinha, perto do que foi feito em 1996. Falam que vem mais chumbo grosso por aí. Eles comentam também que os partidários do ex-prefeito estão pensando até em fazer pedágio para conseguir os cerca de R$ 100 mil que ele precisa devolver à prefeitura.

Bartolomeu Quidute, no entanto, se mostra tranquilo e está convencido de que tudo é armação de Silvino, a quem considera o maior traidor da história política de Garanhuns.