Garanhuns, 28 de fevereiro de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

Governo de São João ajuda desabrigados

Sem recursos financeiros para resolver os estrados provocados pelas chuvas que caíram no município, o prefeito de São João, Antônio de Pádua, em caráter emergencial, reuniu todo funcionalismo para doação de cestas básicas, cobertores e colchões para as famílias desabrigadas. Até a última sexta, cerca de 300 cestas foram arrecadas e já distribuídas, por sua equipe de governo, para as comunidades mais atingidas, principalmente da zona rural.

Entretanto, a primeira providência do Governo Municipal de São João foi decretar Situação de Emergência, isso no último dia 22 de Janeiro, sendo um dos primeiros municípios a tomar essa atitude no Agreste Meridional. "Pela experiência que temos, com apenas 8 dias do início das chuvas, sentimos que os problemas seriam grandes. Então, decretei Situação de Emergência", afirmou.

Além disso, o prefeito fez um contato com a Codecipe para que seus técnicos viessem ao município fazer uma avaliação dos danos, tendo a visita ocorrido na semana passada. Em resposta ao pedido do administrador, a Codecipe remeteu para São João 100 colchões, 200 cobertores, 50 cestas básicas e 500 peças de roupas.

Para tentar agilizar a vinda de recursos para o município, o prefeito participou também, de uma reunião no Palácio do Campo das Princesas, onde junto com outros prefeitos, solicitou ajuda do Governador Jarbas Vasconcelos.

Durante a reunião, o prefeito repassou para o governante a necessidade de dinheiro para recuperação da infraestrutura e ajudar os desabrigados, que tiveram suas casas destruídas, num total até agora de 39. Além disso, ressaltou o número de escolas e estradas danificadas. Dentro da estimativa avaliada pelo prefeito e seu secretariado, através do Avadan (avaliação de danos) será necessário cerca de R$ 550 mil para minimizar os prejuízos decorrentes das chuvas.

No intuito de prestar esclarecimentos a população, e conclamar a sociedade na ajuda aos desabrigados, Antônio de Pádua, foi a Rádio Jornal a semana passada. "Somos um Governo transparente, e temos que prestar todas as informações ao povo, principalmente nesse momento de dificuldade. Estamos mais preparados para a seca, e não estamos acostumados com as grandes chuvas", revelou Pádua.

CHUVAS - Para se ter uma idéia, durante todo ano de 2003, choveu 510 milímetros no município de São João. Já em apenas 26 dias de chuvas decorridas este ano, choveu 552 milímetros. "Não só o fato de ter chovido 552 milímetros, mas a forma com esse volume ocorreu, com chuvas fortes, e que fez que nosso solo não suportasse, especialmente da região do Agreste, que tem um solo arenoso", explicou o prefeito, que também é Engenheiro Agrônomo.

Pádua também afirmou que por está ser uma situação atípica, é necessário a mobilização da população, e da classe política. "É preciso que os prefeitos se unam mais para resolver esse problema. Os deputados que tiveram votos em São João, como o deputado estadual Izaías Régis, Marco Antônio Dourado, e o deputados federais Miguel Arraes, Armando Monteiro Neto e José Múcio entre outros, também devem se mobilizar no processo de liberação de recursos para ajudar os municípios", enfatizou.

AULAS - Em detrimento dos danos nas estradas e nas escolas, a secretária de Educação, Cultura e Desporto, Professora Joselma Assis, se reuniu com sua equipe e resolveu adiar o início das aulas, que ocorrerá possivelmente no dia 1º de Março. "Várias escolas estão com sua estrutura física comprometida, além das estradas que estão intransitáveis. Por isso, achamos por bem adiar o início das aulas até consertarmos os danos causados pelas chuvas".