Garanhuns, 28 de fevereiro de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


O CASO WALDOMIRO

Difícil acreditar que o ministro da Casa Civil, José Dirceu, foi enganado, "traído", pelo seu amigo Waldomiro Diniz, indicado por ele para exercer importante cargo no Governo Lula, ligando o Palácio ao Congresso.

Dirceu, um político que lutou contra a ditadura, que viveu clandestinamente no Brasil, um período de sua vida, que após a abertura ajudou a fundar o PT e conquistou mais de um mandato de deputado federal, até chegar ao status de ministro de Estado, não poderia ser tão inocente assim.

Na política, sabemos, não existem santos ou ingênuos. São todos pragmáticos, profissionais.

O mais provável, portanto, é que José Dirceu tinha conhecimento de pelo menos de algumas coisas praticadas por Waldomiro.

Ao indicá-lo para o Governo Lula, o ministro e amigo do presidente prejudicou a administração petista, aguçou as contradições entre o PT Oposição e o PT Governo, dando margem a que uma oposição formada por gente suspeita pouse agora de bom moço.

Melhor seria, para Lula, ter José Dirceu fora de sua equipe. E dar uma guinada na administração. Antes que os brasileiros dêem razão aos críticos do PSDB, PFL, aos oportunistas tipo Brizola e Garotinho ou radicais como Heloísa Helena e Babá.


SINUCA

O prefeito Silvino Andrade está numa situação difícil. Luís Carlos e Almir Penaforte, pré-candidatos mais do agrado do líder peemedebista, apareceram timidamente nas últimas pesquisas realizadas na cidade. Givaldo, o melhor colocado, tem uma rejeição preocupante, enquanto que Sivaldo, numa posição intermediária, se for o escolhido possivelmente possibilitará o rompimento do vereador do PPS. É uma verdadeira sinuca de bico.


ALTERNATIVA

Existem algumas vozes no grupo do prefeito, possivelmente minoritárias, que defendem uma alternativa diferente para disputar a eleição de 2004. Seria uma chapa encabeçada pelo promotor Alexandre Bezerra, do PT, tendo Luís Carlos Oliveira como vice. O ex-vereador Paulo Gomes e o advogado Pedro de Assis acreditam que essa dupla teria boas condições de vencer o pleito de outubro.


VICE

Quando o padre Carlos André era pré-candidato a prefeito a empresária e professora Maria Almeida chegou a ter seu nome cogitado como vice. Agora, quando o PT vai de Alexandre Bezerra, a educadora volta a ter seu nome lembrado. Simpática ao projeto do promotor, mas filiada ao PV, Maria disse ao colunista que qualquer decisão sua só poderá ser tomada depois de uma conversa com os líderes do Partido Verde em Garanhuns, como Adolfo Lopes, José Carlos Espinhara e Gundes.


CARNAVAL

O deputado estadual Izaías Régis preferiu passar o Carnaval na terra. Ficou se dividindo entre Garanhuns e São João, onde é aliado do prefeito Antônio de Pádua. A cidade vizinha, por sinal, foi outra vez a salvação de centenas de moradores locais. Sem dinheiro para ir mais longe, os garanhuenses brincaram os três dias no ex-distrito do município.


CODEAM

O presidente da Codeam, Antônio João Dourado, prefeito de Lajedo, mandou fazer um jornal com uma espécie de prestação de contas de seu trabalho na direção da Comissão de Desenvolvimento do Agreste Meridional. Pelo que se vê, em apenas 12 meses o dirigente da entidade deu uma agilizada no órgão, que é (como está registrado no jornal) um fórum privilegiado de debates da região.


DUDU

Com a boa aceitação do nome do empresário Claudino de Souza (Dudu) como candidato a prefeito de Capoeiras, surgem pelo menos três candidatos a vice do homem: os ex-prefeitos Zezinho Borrego e Aloísio Cabral e o vereador Edgar. Qualquer um deles topa o sacrifício.


UNIÃO

Pela primeira vez o prefeito Antônio de Pádua e o seu antecessor na prefeitura de São João, Gonzaga Cabral, podem ficar juntos numa eleição. É que se o atual diretor do Hospital Dom Moura, Hugo Leonardo, sobrinho de Gonzaga, for candidato a prefeito ou vice, na chapa apoiada por Pádua, os antigos adversários estarão no mesmo palanque.


GAZETA

Segundo uma das últimas edições do jornal A Gazeta, de Bom Conselho, o prefeito Daniel Brasileiro melhorou um pouco nas pesquisas. Mas ainda é o terceiro, perdendo para os ex-Gervásio Matos e Audálio Ferreira. E por falar em Bom Conselho registramos aqui que a prefeitura daquele município terminou a reforma da Praça Pedro II, uma das bonitas do interior pernambucano, com a imponente igreja matriz a abençoá-la.


TAMANDARÉ

O presidente da Câmara, Sivaldo Albino, alugou uma casa para passar o Carnaval em São José da Coroa Grande. Acontece que em Tamandaré tinha mais gente de Garanhuns e Sivaldo não perdeu tempo: ficou se dividindo entre uma cidade e outra para fazer política junto aos seus conterrâneos.

Maria Almeida, que tem casa de praia em Tamandaré, mesmo sem declarar que tem pretensões políticas falou dos destinos de Garanhuns o tempo todo, na sua casa de veraneio. Conversou com o próprio Sivaldo, trocou umas idéias com Paulo Gomes e recebeu em grande estilo um grupo de integrantes da quadrilha junina Chamego na Roça, da Cohab II.

A contadora Ana Lúcia e a professora Ângela Maria, vice-diretora do Colégio Simoa Gomes - aliadas da diretora do Colégio Santa Joana D'Arc - acham que a política está no sangue de Maria, mas só defendem uma candidatura sua em Garanhuns se for na majoritária, pelo menos como vice.