Garanhuns, 24 de janeiro de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

Preço do leite cai e preocupa fornecedores

Núbia Kênia


A crise financeira da multinacional de laticínios Parmalat vem deixando os produtores do Agreste Pernambucano bastante intranqüilos, causando principalmente a queda do preço pago por litro, sendo comercializado nas últimas semanas por R$ 0,32 o litro, quando já chegou a ser vendido a R$ 0,42.

Essa instabilidade que afeta diretamente o pequeno produtor fez com que o presidente da Cooperativa Agropecuária de Garanhuns, José Maria Azevedo, enviasse um documento ao Governador Jarbas Vasconcelos e ao Ministro da Agricultura denunciando e mostrando a preocupação dos agropecuaristas em relação a essa situação. "Quando nós pensávamos que a situação iria melhorar, com perspectivas de melhoria neste ano novo, vem a noticia que a Parmalat estava em solvência devido a crise financeira que se abateu sobre a matriz na Itália. Com isso há um efeito dominó, chegando a afetar o preço do leite que caiu consideravelmente. Para resolver tudo isto estamos buscando apoio das autoridades competentes", explicou José Maria Azevedo.

Outro ponto debatido no oficio é o Programa do Leite do Estado, que na opinião de José Maria, só beneficia o grande produtor. De acordo com o programa, as empresas devem comprar o litro do leite a R$ 0, 53, isto ao pequeno produtor na fazenda, e na prática isso não acontece.

José Maria adianta ainda que o oficio enviado já teve uma repercussão positiva. "Além disso estamos tentando, junto a Codeam (Comissão de Desenvolvimento do Agreste Meridional), providenciar uma reunião, em Garanhuns, trazendo os fornecedores de Alagoas e Pernambuco, o Governador Jarbas e o Ministro para buscar meios de resolver toda essa problemática", revela.

Em relação ao que vai acontecer com a Fábrica da Parmalat instalada em Garanhuns, José Maria afirma que os produtores de leite do Agreste de Pernambuco como também os fornecedores dos outros Estados não tem nenhuma informação concreta sobre a situação da empresa, que vem honrando todos seus compromissos de pagamento com fornecedores locais, que receberam, na última segunda, os valores referentes ao leite fornecido no mês de dezembro e que deveria ter sido pago na sexta-feira passada, dia16, embora o dinheiro recebido tenha sido abaixo do esperado.

A Parmalat de Garanhuns recebe cerca de 150 mil litros de leite diários dos produtores locais, para a fabricação de leite, iogurtes e sucos, sendo a principal compradora do leite dos pequenos produtores pernambucanos. Estima-se que 7,5 mil criadores de gado vivam da pecuária de leite no Agreste do Estado. No último mês de setembro, a empresa investiu R$ 21 milhões, com inauguração das novas instalações de sua fábrica em Garanhuns. Com isso, triplicou a sua capacidade de produção.