Garanhuns, 24 de janeiro de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Maria Almeida revela defende novas faculdades em Garanhuns

Um dos destaques de Garanhuns ano passado, na área de Educação, a professora Maria Almeida é uma pessoa que não quer saber de acomodação. Na sua visão, na área em que trabalha a cada minuto 'a coisa muda' e é preciso estar atento a isso, buscando uma atualização constante. Por ter esse pensamento, é que a profissional já traça novos planos para 2004, objetivando manter a boa imagem que o Colégio Santa Joana D'Arc conquistou, ao longo desses 18 anos. Nesta curta entrevista ao Correio Sete Colinas, Maria Almeida revela os projetos do educandário, comenta o reconhecimento da comunidade e defende a implantação de novas faculdades no município.


CORREIO - Professora quais as expectativas do Colégio Santa Joana D'Arc neste ano de 2004?

MARIA ALMEIDA - As expectativas são as melhores possíveis. As matrículas estão praticamente encerradas e estamos só aguardando alguns alunos da casa que estão de férias, mas que estão retornando. Recebemos este ano muitos alunos novos e ainda há uma procura de vagas muito grande. Isto é uma resposta positiva da comunidade ao nosso colégio, que vem trabalhando de forma séria, utilizando os métodos mais atuais possíveis. Temos uma boa qualidade de ensino porque procuramos investir continuamente em todos os profissionais do colégio e investimos também em recursos tecnológicos.

Na próxima segunda-feira, dia 26, teremos uma capacitação pedagógica envolvendo todos os professores e queremos ainda este ano ampliar o trabalho nas áreas de dança e esportes. Este ano contratamos também uma fonoaudióloga, que fará um trabalho contínuo na escola, incluindo professores, funcionários e alunos. Já tínhamos uma psicóloga e agora temos mais esse profissional. Enfim, é um investimento que precisamos fazer cada vez mais, para que o colégio continue se destacando na educação. Faço questão de frisar que o Colégio Santa Joana D'Arc é um educandário que além de tudo tem um compromisso social.


CORREIO - A que você atribui os prêmios que o Colégio e você como diretora têm rebido? No final do ano passado mesmo a diretora do Santa Joana foi destaque em Garanhuns tanto como empresária quanto como educadora...

MARIA ALMEIDA - Primeiro eu gostaria de agradecer aos intelectuais e formadores de opinião da cidade por essa atenção. E dizer que esse prêmio não é da diretora do Colégio Santa Joana D'Arc, mas um prêmio que eu dedico aos pais, aos alunos, aos funcionários, à imprensa e aos nossos amigos de modo geral. A todos aqueles que acreditam no nosso trabalho. E posso dizer que desenvolvemos no educandário um trabalho honesto, com muita seriedade, muito amor a Deus e respeito ao próximo. Pessoas que estão do nosso lado e ajudam no dia-a-dia. Ninguém consegue nada sozinho. Eu acredito que todo esse sucesso que o Santa Joana D'Arc tem tido se deve a todos esses parceiros que já citei anteriormente.


CORREIO - Como é que você avalia a Educação em Garanhuns atualmente, tanto na área pública quanto privada. A cidade sempre teve uma imagem boa nesse campo, mas atualmente não estaria havendo uma certa estagnação? Por que, por exemplo, o município não consegue trazer novos cursos de nível superior?

MARIA ALMEIDA - Eu acredito que a educação em Garanhuns cada vez mais está melhorando. Nós temos aí a Secretaria de Educação do município, que tem feito um trabalho muito bom, através da professora Girlane Santana. A Gere, na pessoa de Cleonice Vaz, também faz um esforço enorme para melhorar as escola pública, investindo especialmente em capacitação. Quanto à rede particular, tem procurado se modernizar, busca crescer e oferecer o melhor aos seus alunos.

Na questão de cursos universitários, reconhecemos que Garanhuns realmente está carente. Com certeza o município precisa de um Pólo Universitário. Na minha opinião os empresários da área de educação, juntamente com os poderes públicos, precisam se empenhar mais no sentido de trazer novos cursos de graduação. Não é admissível uma cidade do porte da nossa possuir apenas duas faculdades, com poucos cursos, forçando que os jovens saiam logo cedo, em busca de outras opções nas capitais, especialmente Recife e Maceió, que absorvem muitos dos valores locais.

Mas mesmo aí somos otimistas. Acreditamos que muito em breve essa questão poderá ser resolvida. Até porque a FAGA tem se expandido muito e tenta trazer para a cidade o curso de Direito e mais dois outros de nível superior. A UPE, que tem um trabalho muito bom, só precisa de mais espaço físico, mas sabemos que os professores Petrúcio Moraes e Pedro Falcão têm se empenhado muito, de modo a resolver esse problema.

Acho que os políticos devem batalhar mais por novos cursos em Garanhuns. Repito que é inadmissível a cidade continuar somente com duas faculdades.