Garanhuns, 10 de janeiro de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Ivo Amaral descarta candidatura a prefeito

Mesmo ocupando a segunda posição nas pesquisas eleitorais realizadas no município, o ex-prefeito e ex-deputado Ivo Amaral resolveu descartar o seu nome como candidato à sucessão do prefeito Silvino Andrade, no pleito deste ano. "Estamos fazendo isso com a devida antecedência para que, no futuro, ninguém venha dizer que tumultuamos o pleito, mantendo uma candidatura considerada até inviável por alguns. Mas, vamos continuar na luta pelo engrandecimento de Garanhuns, apenas não vamos disputar as eleições, alertou Ivo Amaral.

O ex-prefeito lembrou que sempre tomou decisões importantes procurando fazê-las de acordo com os altos interesses de Garanhuns e do seu povo. "Levando essa premissa em consideração, já podemos anunciar de forma decisiva e inequívoca que não mais disputaremos o pleito de outubro de 2004, quando será eleito o futuro prefeito de Garanhuns, em virtude de várias razões que passaremos a enumerar, sendo uma delas a sensação do dever cumprido", ressaltou o político.

Para Ivo Amaral - cujo nome vinha sendo cogitado para suceder o atual prefeito Silvino Duarte - "A sensação do dever cumprido é muito importante porque todos em Garanhuns, na região e no estado, sabem da nossa dedicação a coisa pública nestes mais de 40 anos de atividade política, quando exercemos com muito orgulho os cargos de vereador, vice-prefeito, prefeito em dois mandatos e deputado estadual em duas legislaturas. Sabemos que demos o melhor dos nossos esforços e encontramos o reconhecimento dos garanhunenses", disse.

Segundo o ex-líder do PFL, atualmente no PMDB, manter a unidade da união por Garanhuns é muito difícil, principalmente depois que o PFL resolveu sair com candidato próprio. "Ficamos, nós do PMDB, o PSDB com Sivaldo Albino, o PPS com Givaldo Calado e o PP com Almir Penaforte. Realmente, o quadro sucessório na Suíça Pernambucana é muito difícil e como nós já tivemos o ensejo de dirigir essa maravilhosa terra em dois mandatos, afora o período em que assumimos como vice-prefeito, é chegada a hora de dar a oportunidade a outros".

"Essa decisão de não mais disputar a prefeitura de Garanhuns - aduziu Ivo Amaral - só foi tomada após muita reflexão, consulta aos familiares e amigos mais próximos e em suma: uma chegada de conscientização de que era preciso continuar na luta por uma Garanhuns melhor, mas que essa luta não significasse o sacrifício de uma candidatura em um pleito que tudo indica será pontilhado por acusações e agressões das mais variadas. Nunca tememos os adversários sejam eles quem forem, mas sabemos que toda tolerância tem limites".

O ex-prefeito adiantou que um candidato forte em Garanhuns precisa de prestígio, força pessoal e de apoios importantes como do Governo do Estado e do Poder Municipal,. "Como nenhum desses apoios foi concretizado até o momento, achamos por bem que era hora de deixar para outro nome da aliança por Garanhuns a oportunidade de disputar o pleito de outubro de 2004", justificou Amaral, reiterando que mesmo fora da disputa estará lutando sempre pelo engrandecimento de Garanhuns.

DEPOIMENTO - Nessas mais de quatro décadas de dedicação à vida pública, Ivo Amaral sempre conquistou os seus mandatos pelo voto, sendo respeitado até pelos adversários. Recentemente, em artigo publicado no Jornal Imprensa do Agreste, o colunista político Paulo Camelo, filiado ao PSTU, reconheceu a coerência do ex-prefeito e ex-deputado.

"Mesmo frágil economicamente, Ivo é o político que teve o mais longo período de vida pública em Garanhuns, nos últimos 50 anos, além de ser o que possui mais títulos, os quais foram conseguidos pelo voto popular. Se concordamos ou não com a sua política são outros quinhentos", escreveu Paulo Camelo, estranhando as pesquisas que apontaram o ex-prefeito como campeão da rejeição no município. "Isso é história pra boi dormir", complementou o articulista.