Garanhuns, 29 de novembro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Quadro político em Garanhuns ainda indefinido

Apesar do número razoável de pré-candidatos à prefeitura de Garanhuns, para a eleição de 2004, o quadro político local ainda está indefinido. Estão colocados como certos os nomes de Bartolomeu Quidute (PTB), Jorge Branco (PFL), Alexandre Bezerra (PT) e Paulo Camelo (PSTU), mas mesmo entre estes pode surgir alguma alteração. O Partido Trabalhista pode vir a ter outro nome na disputa, enquanto Alexandre e Jorge são assediados para aceitar uma vice, o que não pode ser totalmente descartado.

No grupo do prefeito, o quadro é ainda mais complicado. Os pré-candidatos que aparecem com maior densidade eleitoral nas pesquisas, Ivo Amaral (PMDB) e Givaldo Calado (PPS), têm alto índice de rejeição e Silvino não morre de amores por nenhum dos dois. Nomes pelo qual o prefeito tem maior simpatia, caso de Luís Carlos e Almir Penaforte, têm índices inexpressivos nas pesquisas feitas até agora, aparecendo melhor o presidente da Câmara, vereador Sivaldo Albino, mesmo assim sem conseguir sair da faixa dos 5%.

O vice-prefeito Márcio Quirino, rompido com Silvino, trava luta em duas frentes tentando viabilizar sua candidatura: dentro do partido ao qual está filiado, o PDT, disputa a indicação com o vereador Gedécio Barros e tenta ao mesmo tempo o apoio do deputado federal Armando Monteiro, em quem votou na eleição passada.

Márcio, contudo, nem tem a simpatia da maioria dos diretorianos do PDT, favoráveis a Gedécio, nem dos que estão no PTB, declaradamente adeptos de Bartolomeu, a começar do deputado Izaías Régis, na verdade quem tem votos na Garanhuns de hoje.

Apostando nessa indefinição e na falta de consenso dos grupos do prefeito e do deputado, é que dois candidatos, Alexandre Bezerra e Jorge Branco, tentam construir uma terceira via. O primeiro conseguiu formar um grupo respeitável de partidos e candidatos a vereador, estando pronto para colocar na rua uma campanha vibrante baseado num programa de governo inovador.

Quanto a Jorge Branco, tem a seu favor a determinação, a juventude e o apoio dos líderes do PFL no Estado, a começar pelo vice-governador Mendonça Filho e o deputado André de Paula. O ex-secretário de Turismo conta ainda com a tradição da família do pai, o ex-deputado federal José Tinoco, estruturas na área de saúde e de comunicação. O radialista Marcos Cardoso, por exemplo, é candidato a vereador ao lado de Jorge, ancorado na popularidade que tem o seu programa na Rádio Marano.

Na verdade, o grupo do deputado Izaías Régis hoje está na vantagem, mas certamente ainda é muito cedo para cantar vitória, porque Garanhuns é uma cidade que faz história com a tradição de viradas eleitorais.

Muitos, inclusive, acreditam que o próprio Izaías poderá ser candidato a prefeito, pelo PTB, tendo Bartolomeu ou Rosa Quidute como vice. E se isso acontecer, com certeza, as pesquisas irão virar de cabeça para baixo. (R.A.).