Garanhuns, 29 de novembro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

EDITORIAL


As contradições do Governo Silvino

Recentemente o prefeito Silvino Andrade chamou à imprensa da cidade para ver de perto algumas obras que estão sendo realizadas em sua administração. O aterro sanitário, que está sendo construído com recursos do governo Lula e uma pequena contrapartida do município foi uma dessas obras. Outra foi a escola da Boa Vista, bancada com dinheiro do Fundef e que se arrasta já há alguns meses.

Não resta dúvidas de que Silvino fez um bom primeiro governo em Garanhuns e por isso foi reeleito com folga. Mas, na segunda administração privilegiou o centro e os bairros ricos, deixando para as áreas pobres só as migalhas.

Assim, enquanto um trecho nobre de Heliópolis está sendo todo asfaltado e a Rui Barbosa foi reformada sem tanta necessidade, na Bela Vista não foi colocada uma pedra sequer de calçamento.

Os esgotos correm a céu aberto no Mundaú, no Magano, na Cohab dois, na Brahma e em diversos outros bairros da cidade.

Em matéria de calçamento também é uma lástima. Na Cohab dois, o calçamento da rua cinco, que é do tamanho de nada demorou um tempo enorme para ser concluído. A pavimentação da rua 45 já se arrasta há quase cinco meses, gerando toda sorte de problemas, inclusive de saúde, como reclama agora a senhora Keila Nunes, que ameaça entrar na justiça contra o poder público.

Infelizmente, temos de reconhecer que a administração de Silvino Andrade, séria, correta, com algumas realizações de peso, se perde nas miudezas.

Em razão disso o prefeito já recebeu a primeira bordoada o ano passado, quando Izaías Régis se elegeu e Aurora Cristina não. E pior: Izaías teve votação de candidato majoritário, totalizou mais de 23 mil sufrágios em Garanhuns, praticamente topando com o que Silvino tinha conseguido no pleito de 2000.

E no próximo ano, será muito difícil para o prefeito reverter um quadro que hoje favorece totalmente Izaías. Dos candidatos do peito de Silvino à prefeitura, ninguém consegue ultrapassar os cinco por cento nas pesquisas, e isso dificilmente mudará se continuar esse estilo prolixo de fazer política e esse critério injusto na realização das ações administrativas.

O povo de Garanhuns é sábio, é independente, não se contenta com pouco e sabe optar pelas mudanças quando elas são viáveis. Estamos convencidos de que ou o prefeito muda ou o povo muda o prefeito.

Quem viver verá.