Garanhuns, 08 de novembro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

Foguete e presença de robô na II Expo Quinze

Núbia Kênia


Durante todo o próximo dia 15, a cidade de Garanhuns se tornará a capital em defesa da Água. Esta é a proposta de um dos educandários mais importantes do interior do Estado, o Colégio Presbiteriano Quinze de Novembro, que comemora 103 anos, e em parceria com a SAPIENS (Centro de Formação e Pesquisa do Recife) realizarão a II Expo Quinze, grande feira de conhecimento científico, aberta ao público, que tem como objetivo expor os projetos desenvolvidos dentro da escola ao longo do ano, e alertar a comunidade sobre a importância da Água para sobrevivência do mundo. O evento, cujo tema será "Água o Planeta tem Sede de Vida", será sediado na Praça Guadalajara, em Garanhuns, onde acontecerá a exposição dos projetos de cerca de 600 alunos do Quinze, da Educação Infantil ao Ensino Médio, e de outras instituições convidadas, além da exposição cientifica do "Espaço Ciência", que fará o lançamento do Foguete Educativo, Cinema Planetário (com 180 graus), a presença do "Zom Zom", robô com 70 cm de altura, capacidade de locomoção e comunicação com o público, além de palestras educacionais abertas ao público, ministradas por grandes educadores de renome em todo Brasil, e por fim apresentações culturais.

De acordo com Márcio Gomes, diretor geral da SAPIENS, o projeto da II Expo Quinze teve este tema em função de 2003 ter sido o ano eleito pela ONU com "Ano Internacional da Água Doce". Ele explica ainda que a Feira foi montada em uma estrutura bem maior do que uma feira de ciências, que normalmente acontecem nas escolas, pois se procurou dá um caráter diferenciado. "Nossa proposta é que a feira não fosse simplesmente a apresentação de trabalhos feitos esporadicamente, e sim trabalhos realizados ao longo do ano com orientação dos professores, seguindo critérios metodológicos repassados pela
SAPIENS, com estrutura grande e bem organizada, e apresentações culturais durante todo dia. "O evento está direcionado para a população de Garanhuns e região, não estando restrito apenas aos pais e alunos do Colégio Quinze de Novembro", ressalta Gomes.

O diretor geral do Quinze, pastor Edson Dantas, avalia que a Expo Quinze é um trabalho rico em todos os sentidos, pois o aluno do Colégio Quinze desenvolve um conhecimento adquirido de várias maneiras e com muitas experiências, tanto com captação de recursos, pesquisas, como aprende a trabalhar com projetos, e a desenvolver o relacionamento interpessoal. "Nesse trabalho, vejo uma riqueza muito grande, não só por parte dos alunos, mas também pela família, que participa ativamente", destaca Dantas.
Ainda segundo os organizadores do evento, a II Expo Quinze também tem o objetivo de conscientização, voltada para Educação Ambiental, daí porque nasceu esse projeto temático, que desperta para o problema da Água que é muito sério, não só no Brasil, como também no mundo inteiro. "É necessário que as pessoas possam entender a importância da Água, usada não só para beber, mas também, para inúmeros aspectos diretos e indiretos que estão ligados a ela (água) como a seca, produção de energia, doenças, entre outros", explica Márcio Gomes.

Escolas Públicas e instituições convidadas participam da Expo Quinze

A II Expo Quinze começará às 14 horas do próximo sábado, dia 15, com uma palestra, no Teatro do Centro Cultural, intitulada "O papel do Professor na Construção do Sujeito", ministrada pela professora Simone Bérgamo, pós-graduada em Psicopedagogia e Mestre em Pedagogia pela PUC SP/RS. Logo após, às 15 horas, o pastor Edson Dantas acompanhado de autoridades municipais fará a abertura oficial da Feira, com o início da exposição dos projetos da escola, além da exposição de projetos de pesquisa realizados pelos alunos das escolas públicas municipais e estaduais de Garanhuns, exposição de instituições convidadas como a Chesf, Compesa, UPE, Prefeitura de Garanhuns, Lego Educational Division, SAPIENS.

Também às 15h acontecerá a palestra "Como Melhorar a Concentração da Atenção do Aluno no Processo de Ensino e Aprendizagem", dirigida pelo professor Luiz Schettine, formado em Teologia e Psicologia, professor de Psicologia da Aprendizagem da UFPE e autor de vários livros. Duas horas depois acontecerá a palestra "Águas do São Francisco, a Razão de Vida de Uma Região", cujo palestrante será Antônio Galdino, Assessor de Comunicação e Administração da Chesf de Paulo Afonso.

Entretanto, o diretor geral do Colégio antecipa que as comemorações de aniversário do Quinze começam logo na próxima quinta, dia 13, quando às 9 horas haverá uma carreata saindo do Quinze e percorrendo as principais ruas da cidade. Já na noite do dia 14, a partir das 20 horas, acontecerá a tradicional escolha da Rainha do Quinze, evento realizado há 30 anos.

Dentro do cronograma da II Expo Quinze, teremos ainda o Cinema Planetário, por exemplo, onde o público terá a oportunidade de assisti aulas e vê a projeção o Universo. "As pessoas se deitam no interior do Planetário e poderão contemplar os planetas e as estrelas. Uma verdadeira aula de Astronomia, tudo ministrado pelo Espaço Ciência, de Recife, que também está trazendo um Foguete Educativo, que será lançado até 300 m de altura. Além do Foguete, o Espaço vai trazer telescópico e outros equipamentos. Outra empresa que irá expor seus trabalhos na feira será a Lego Educational Division, que trabalha com mecanismos robotizados (robôs).

Além dos stands espalhados pela Explanada Guadalajara, a feira terá um palco externo destinado para apresentações culturais, e a premiação no final dos melhores trabalhos.

Estarão presentes no evento do prefeito Silvino Duarte, o presidente da Universidade Mackenze, Dr. Custódio Pereira, cuja rede faz parte da Universidade de Havard, nos Estados Unidos.

O desfecho dos festejos do aniversário do Colégio Quinze será no dia 16, quando haverá um culto em Ação de Graças, às 9:30h, na Igreja Presbiteriana Central, com a presença do diretor do Agnes, pastor Eduardo Magalhães.

As palestras serão realizadas no Teatro do Centro Cultural. Os educadores e público em geral interessados em participar das palestras devem pegar sua senha de entrada com antecedência na recepção do Colégio Quinze, pois as vagas são limitadas.

INÍCIO - O início dos trabalhos para II Expo Quinze começaram logo no início do ano, quanto todos professores da instituição foram capacitados, primeiro para o trabalho voltado para metodologia de pesquisa, e depois em relação ao tema "Água", inclusive fazendo uma visita a Chesf , em Paulo Afonso-BA, para avaliar tudo que poderia ser explorado. De lá pra cá, mensalmente aconteceram reuniões com todo corpo docente do Quinze e a SAPINS para acompanhar o planejamento. "A Feira foi acompanhada passo a passo, bem de perto. Porém, desde o ano passado que o Colégio Quinze vem introduzindo o trabalho com grandes temas interdisciplinares, quando tivemos a oportunidade de realizar a I Expo Quinze, que foi um grande sucesso", enfatiza Márcio.

Para o diretor da SAPIENS, uma das instituições mais conceituadas na área de educação do Norte-Nordeste, o projeto de pesquisa é necessário dentro da escola, pois a produção do conhecimento do Aluno deve ser levada para a comunidade, e não ficar só dentro da escola. "Se temos um trabalho bem produzido, que segue uma metodologia e uma orientação, devemos levá-lo para a população. Essa é nossa proposta junto ao Quinze. Isto faz com que, também, os alunos se sintam mais valorizados. Porque uma coisa é você desenvolver uma pesquisa com tanto sacrifício, e apresentar para seus pais e colegas da escola, e outra coisa é você apresentar um trabalho em praça pública para uma comunidade onde circulam entre 10 e 15 mil pessoas, que é nossa estimativa de público este ano. Além do mais o aluno sente muito mais sentido nesse trabalho pedagógico, porque ele não está aprendendo a matemática pela matemática, a Química pela Química, etc".

Márcio Gomes explica que a introdução de um método de trabalho pedagógico dentro da escola vem sendo utilizado no mundo inteiro, pois acabou a época daquela escola tradicional, que se limitava exclusivamente a exposição, o professor dá aula e o aluno copia. "Essa metodologia está fadada ao fracasso. O mundo inteiro tem trabalhando com projetos, só que muitas escolas falam que trabalham com projetos, mas não tem o conhecimento devido para, realmente, desenvolver o trabalho com projetos interdisciplinar, isto é, aquele projeto que leva o aluno a aprender o conhecimento, mas via um projeto temático. É desta forma estamos trabalhando a Expo Quinze".