Garanhuns, 25 de outubro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Dona Severina diz que só quer o que for dela

Ciente do rebuliço que tomou conta da cidade e sendo acusada por grande parte das pessoas de "vigarista", a senhora Severina de Souza Dias, em entrevista, esta semana, a Rádio Jornal de Garanhuns, afirma que está muito ferida por saber que muitas pessoas de Garanhuns estão chamando-a de golpista. "Estou muito triste, eu não sou nada disso que estão dizendo por aí. Muita gente me conhece em Garanhuns. Minha mãe era muito conhecida na cidade. Ela tinha um hotel vizinho a Prefeitura Municipal. O próprio prefeito Dr. Silvino, Promotores e Magistrados sabem da minha idoneidade. Eu só quero o que eu tiver de direito, e vou lutar para isso. Todos estão trabalhando dentro da Lei", declara.

Dona Severina conta que nasceu e se criou no Sítio Flamengo, vizinho da propriedade Sítio Pau Amarelo. Hoje, essa propriedade é de Marquedovis, prefeito de Lagoa do Ouro. Depois que o dono da "Pau Amarelo" morreu, a família dele se reuniu e vendeu todos os direitos hereditários da propriedade. "Tenho o direito de contestar o que é meu por direito. Estou fazendo apenas demarcação da área, mas não estou falando que sou dona de Heliopólis, sou dono deste documento que estou regularizando. Todos estamos trabalhando dentro da Lei", ressalta dona Severina. Se a Sentença for comprovada, a senhora Severina revela que pretende abrir uma empresa e convidar os proprietários para avaliar, junto com a advogado a situação de cada um.

ADVOGADO - O advogado Carlos Roma, que está à frente da Ação, avalia que grande parte da população da cidade está fazendo uma revolução muito grande diante do contexto. Ele explica que, na verdade, foi concluído o inventário restando com herdeira única dona Severina de Souza Dias. Porém, não tem bens palpáveis para comprovar, cuja área demarcada nasceu de uma escritura de 1912. Então, para que a autora da Ação pudesse discutir o que realmente era dela precisava ter feito uma Ação Demarcatória, como essa, que está criando este alarme.

Carlos Roma ainda explica que sobre as pessoas que dizem que apenas têm um pedaço de papel, na maioria das vezes, que comprou de boa fé, será avaliado o que se poderá fazer para legalizar a situação. "È bom que fique claro para população de Garanhuns, em especial a de Heliopólis, que não existe nenhuma interesse de se tomar nada de ninguém. Mesmo aqueles que não tem o "documento de domínio", eles tem a posse do imóveis. Então vamos negociar. Tudo vai ser discutido após a sentença. Dona Severina jamais abriu a boca para dizer que é dona do bairro de Heliopólis. Como ela disse, muitas dificuldades surgiram nestes inventários, inclusive muitas pessoas tacharam ela de doida, porém com muita luta chegamos até aqui. Não conhecia o Juiz Dr. Márcio Basto, mas admiro sua competência, coragem e determinação. Ele disse que terminaria o inventário, e assim o fez" elogia.