Garanhuns, 11 de outubro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

A responsabilidade de um discurso leve

Optando por preparar um discurso leve, Jorge Branco escolheu por ler em público o discurso de sua posse como presidente do PFL-Garanhuns.Evitou-se assim a prepotência dos que se arriscam a incorrer em erros na banalidade de improvisar publicamente em assuntos sérios. Dono de uma simplicidade própria, a autencidade do raciocínio correu a grande platéia que se formou no auditório da Rádio Jornal que acompanhou com empatia, a verbalização pausada de um jovem que demonstrou excelentes qualidades de orador.Jorge chamou a si a responsabilidade de dirigir um partido que tem história e serviços prestados. "Duas grandes razões nos motivam a estar á frente do PFL-Garanhuns, a partir de hoje: A contribuição histórtica, política e social desta sigla à Garanhuns, a Pernambuco e ao Brasil E esta manifestação de desejo de mudança do povo desta cidade." Justificou a afirmativa, assegurando o compromisso e o respeito para com os pioneiros que implantaram a sigla partidária em nosso municipoio."Quando afirmamos um PFL de "cara nova", não estamos renegando àqueles que no passado contribuiram e ainda contribuiem com os processos de avanços deste municipio. Estamos sim, dispostos a reconduzir esta sigla partidária, à dinâmica de um caminho novo, a estãncias capazes de abrir novos horizontes para Garanhuns, numa relação de mundo...Somentte não comunga com esse pensamento quem se nega ao avanço, quem não quer compreender uma nova história que se tece através da voz das ruas...". Jorge Branco fez uma convocação imediata a sua diretoria e aos antigos e novos filiados, para tornarem-se multiplicadores dessa Boa Nova renovadora que assola o partido. Não esqueceu de fazer uma referência especial ao seu pai José Tinoco, pelos relevantes serviços prestados à coletividade ao longo de sua vida política pública. O ex-deputado Federal, por sua vez, tem se mantido numa postura admirável, conservando-se à distãncia-presente nessa nova empreitada do filho. Jorginho, incluiu o genitor nas referências as expressões que compunham a mesa diretora, a quem agradeceu o forte apoio."Precisamos considerar esse respaldo político que hoje nos cerca. Aqui se encontram inegáveis expressões políticas da região, do estado e do país. Exemplos de vida política pública em consideráveis mandatos que receberam autorga do povo, pelo pensar político sério, compromissos mantidos com o povo e a fidelidade impecável aos princípios éticos e cidadãos. "O presidente do PFL Garanhuns, deixou sobretudo transparecer compromisso de promover articulações promissoras, reler as potencialidades nuas de Garanhuns e sua vocação para o desenvolvimento. Tudo isto vinculado, a um fazer constante, no esforço diário de todos." Estamos emprestando nossos sonhos juvenis a uma cidade que renasce na contemporaneidade de uma prática política moderna, aberta ao diálogo. E o PFL será tradutor do pensamento popular na expressão dos estudantes, dos comerciantes em seus estabelecimentos, do homem das encostas rurais, dos religiosos em sua fé inabalável e sobretudo será o partido dos excluídos sociais. Um partido sem exclusivismos, sem sofismas e sobretudo sem mágoas. Mas será a casa de todos, o caminhar de todos para a construção de uma sociedade democrática, igualitária e justa. Se esse sonho foi acalentado durante muitas gerações, a sua concretização agora, é compromisso inquestionável de todos nós que acrteditamos no "novo" como chave principal para uma Garanhuns diferente". Para antigas lideranças e velhos filiados ao partido da Frente Liberal, Jorge Branco não surpreendeu, mas fez apenas juz, a "escola" política em que nasceu. A desenvoltura da argumentação das idéias, instrumentaliza um pensar político novo, capaz de produzir efeitos de empatia no seio da população.

Para os novos filiados e as lideranças que nascem agora, Jorge Branco, começa a se tornar uma liderança agradável cujas habilidades afloram regadas pelos impulsos que a sua jovialidade empresta ao idealismo de uma população que se fustiga ao novo nesse limiar de proceso eleitoral de Garanhuns.