Garanhuns, 11 de outubro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


EM DEFESA DA DEMOCRACIA

Em muitos municípios pequenos desse Agreste Meridional e de todo o Nordeste, é como se a democracia fosse algo ainda distante. Prefeitos e chefes políticos tradicionais, com aquele ranço dos coronéis do passado, fazem o que bem entendem, sem nenhum respeito ao povo e as instituições.

Exemplar é o caso de Capoeiras e Caetés, a primeira governada pelo PFL e a segunda pelo PT. O prefeito Nenen, uma liderança ainda bem jovem, não paga aos professores o que manda a lei, mesmo existindo os recursos garantidos para tal. Zé da Luz, embora mais experiente, permite que no município muitos servidores recebam menos de que o salário- mínimo.

Nas duas cidades os funcionários da prefeitura têm um verdadeiro pavor da "democracia" praticada por esses prefeitos. E só mesmo um juiz para bater de frente com os representantes do neo-coronelismo.

Mas não pensem que esse pouco exercício da democracia acontece só em Caetés e Capoeiras não. Em Angelim, Lagoa do Ouro, Iati, São Bento do Una e mesmo aqui em Garanhuns a herança da ditadura ainda é muito forte.


PREFERÊNCIA

Dos pré-candidatos a prefeito no grupo de Silvino Andrade, o presidente da Câmara, Sivaldo Albino, parece ter a preferência do chefe. O líder peemedebista imagina que o vereador seria mais maleável e esquece a máxima de Maquiavel que diz o seguinte: "ninguém governa o governante".


EXEMPLO

O melhor exemplo de como essa máxima é verdadeira está no próprio Silvino. Quando o elegeu, Bartolomeu pensou que iria mandar no prefeito. O governante se rebelou antes mesmo de assumir e o resto da história Garanhuns toda sabe muito bem.


IVO

Ivo Amaral possivelmente é o pré-candidado do grupo do prefeito que tem menor a simpatia de Silvino. Pelo índice de rejeição nas pesquisas, que o governante acha difícil de ser trabalhada, por ter sido seu adversário na eleição de 1996 e talvez por não ter lhe dado vez quando era o manda-chuva em Garanhuns, na década de 80.


LIDERANÇAS

O empresário e advogado Jorge Branco aposta no apoio ostensivo que está recebendo da maioria das liderenças do PFL para impulsionar sua candidatura à prefeitura de Garanhuns. De fato, Mendoncinha, André de Paula, Inocêncio Oliveira e o senador Marco Maciel estão apostando alto em Jorginho.


RÁDIO

O empresário João da Condil parece não estar satisfeito com a Garanhuns FM, de Givaldo Calado. Caso contrário não teria feito proposta para comprar uma outra emissora de rádio aqui da cidade. E mesmo que o negócio não seja concretizado pelo menos o programa de Mução pode mudar de prefixo.


RADIALISTAS

Dois profissionais do microfone resolveram entrar na política de vez. Serão candidatos à Câmara Municipal, no próximo ano, os radialistas Marcos Cardoso (PFL), da Rádio Marano e Fernando Monteiro (PMDB), da Sete Colinas. Um filho de Aluízio Alves, da Rádio Jornal, também deverá entrar na jogada pelo PTB.


FUNDEF

O juiz da comarca de Capoeiras, Augusto Angelim, atendendo a uma ação do Sindicato dos Servidores, determinou que o prefeito de Capoeiras, Nenen, volte a pagar os professores do município de acordo com a lei do Fundef. Caso a decisão seja cumprida, os profissionais de ensino passarão de R$ 270 para mais de R$ 500 por mês. Se o prefeito descumprir a ordem judicial estará sujeito a uma multa de R$ 10 mil por dia.


SALÁRIO

O mesmo juiz Augusto Angelim, atendendo a uma ação do vereador Neguinho (PV), ordenou o pagamento do salário-mínimo a todos os funcionários da prefeitura de Caetés. A multa, no caso de descumprimento por parte do prefeito Zé da Luz, também será de R$ 10 mil ao dia.


ALEXANDRE

Depois do ato do Partido Verde no Centro Cultural o promotor Alexandre Bezerra tomou gosto pela candidatura à prefeitura de Garanhuns. O representante do Ministério Público já conversou até com o presidente nacional do PT, José Genoíno, tendo recebido deste o sinal verde para participar da disputa.


APOIOS

Caso viabilize sua candidatura pelo PT, Alexandre terá o apoio do PV, do PL, do PHS e possivelmente do PSB e PC do B. Também não está totalmente descartada a participação do PDT nesta aliança, que se manteve graças ao padre Carlos André. O sacerdote desistiu de ser candidato, mas não de fazer política.


DOMÍCILIO

O médico Eduardo Miranda, que disputou um mandato de deputado estadual, ano passado, transferiu seu domícilio eleitoral para Garanhuns. Ele também trocou o PPS pelo PDT e deve apoiar Márcio Quirino se este for candidato.


OS MÉDICOS

O Jornal Marano levou ao ar um conjunto de reportagens que teve uma enorme repercussão na cidade. A matéria mostrava que Garanhuns está sendo governada por médicos há 11 anos, mas nem assim deixa de ter sérios problemas na área da saúde.

Um dos entrevistados pela reportagem do jornal, Daniel Santos, do bairro do Indiano, bateu forte: "Está na hora de tirar os homens de branco dessa prefeitura", disse ele. O próprio secretário de Saúde do município, Almir Penaforte, confidenciou a Tiago Correia que a discussão era (é) oportuna.