Garanhuns, 30 de agosto de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Entrevista
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


MUDANÇA DE CENÁRIO

Antes mesmo de chegarmos em 2004, uma profunda mudança no cenário político de Garanhuns pode acontecer, com a possível desistência de padre Carlos André de concorrer à sucessão municipal. Segundo colocado nas pesquisas de opinião pública realizadas na cidade, o religioso deixará um vazio que não se sabe ainda por quem será ocupado.

Bartolomeu Quidute poderá ganhar fatias do eleitorado do religioso, concentradas no segmento mais popular. Mas Sivaldo Albino, caso desponte como o candidato de Silvino, também poderá usufruir votos, principalmente dos mais jovens.

Há ainda a possibilidade de surgir um nome novo na disputa, apoiado por padre Carlos, porém ninguém deve imaginar que o homem da igreja terá o poder de transferir seu carisma e prestígio pessoal para outra pessoa.

O padre chega a Garanhuns no próximo dia 20. E só aí será dada sua decisão final se entra ou não na política. Até lá, vai ser muita expectativa, principalmente por parte de quem fez projetos pensando na candidatura do religioso.


ÓRFÃOS

Dezenas de pré candidatos à Câmara Municipal ficarão órfãos politicamente, caso padre Carlos desista de sua candidatura à prefeitura de Garanhuns. São bons nomes espalhados pelo PT, PV e PSC que teriam mais chances de garantir um mandato ancorados por uma boa candidatura majoritária.


NEGUINHO

O vereador Luiz Antônio, mais conhecido como Neguinho, desponta como a nova opção política no município de Caetés, terra do presidente Lula. Ele deve ser candidato pelo PV e já começa a incomodar determinados setores da cidade vizinha.


FAVORITO

O favorito para vencer a eleição em Caetés continua sendo o prefeito José Luiz Sampaio, o Zé da Luz, do PT. Outro candidato é Edinaldo Puça, do PMDB. Mas Neguinho, respeitado como vereador e querido entre os jovens, deverá dar bastante trabalho.


PDT

A direção do PDT em Garanhuns esclarece que não está fechada com a candidatura do padre Carlos, se esta vier a acontecer. O Partido Democrático Trabalhista pretende disputar a eleição do município com nome próprio, no caso o vereador Gedécio Barros.


DOM MOURA

As críticas sobre o Hospital Dom Moura terminaram atingindo o deputado Izaías Régis, do PTB, que é oposição ao governador Jarbas Vasconcelos. É que a população e até a imprensa anda cobrando que o parlamentar denuncie com mais força o caos e o descaso na unidade de saúde local.


DOM MALAN

Izaías garante que tem feito a sua parte, denunciando a má situação do hospital e cobrando providências do governo. Recentemente, numa visita ao Hospital Dom Malan, de Petrolina, o deputado constatou que lá a situação é pior do que aqui. Não se sabe é se isto serve de consolo pra população de Garanhuns.


CRIMES

Dificilmente se passa uma semana sem que se mate um em Capoeiras. Até os jovens daquela cidade estão aderindo à criminalidade de maneira extremamente fácil. Ultimamente, deram para espancar, matar e queimar os corpos das vítimas. É um ritual macabro, infeliz, sem que exista autoridade política no município capaz de inibir a ação dos candidatos à pistolagem.


PESQUISAS

Deu muito o que falar na cidade a pesquisa feita pelo grupo do deputado Izaías Régis apontando o ex-prefeito Bartolomeu Quidute como o preferido dos garanhuenses, com 29% das intenções dos votos. No segundo lugar apareceu padre Carlos (15%), em terceiro Luis Carlos (12%), em quarto Sivaldo (11%), em quinto Givaldo (6%) e no sexto lugar Márcio Quirino (4%).


CRÍTICAS

Muitas críticas foram feitas a pesquisa por não incluir no levantamento nomes como Jorge Branco e Ivo Amaral, do PFL. E O próprio nome de Izaías não foi colocado. Os partidários de Givaldo Calado consideraram anti-ético o vazamento dos dados e garantem que o vereador tem índices bem maiores em outras pesquisas.


FURO

Quem primeiro tornou pública a notícia de que padre Carlos poderia desisistir de sua candidatura à prefeitura de Garanhuns foi o Jornal Marano, no início da semana. Antes, no sábado, todo satisfeito, o bispo Dom Irineu fizera um comunicado aos padres da Diocese, neste sentido.


A ELEIÇÃO NO RECIFE

Como sempre, a eleição no Recife interessa a todo Estado. No próximo ano, na capital, teremos três fortes candidaturas: uma a do prefeito João Paulo, que disputará a reeleição apoiado por forças populares, partidos de esquerda e pelo presidente da República. Outro será o deputado federal Joaquim Francisco, do PTB, ex-governador e que já por duas vezes administrou a Veneza Brasileira. Por fim, o também deputado Carlos Eduardo, o Cadoca, campeão de votos em várias eleições e que deve contar com o total apoio do governador Jarbas Vasconcelos. Será uma disputa bonita e acirrada, capaz de influenciar as disputas em várias cidades importantes de Pernambuco.

Joaquim, João Paulo e Cadoca, qual Sport, Náutico e Santa Cruz, proporcionarão aos moradores do Recife momentos de muita emoção e quem sabe, qual na eleição do ano 2000, a parada na capital só será decidida nos últimos minutos do segundo tempo (ou turno).