Garanhuns, 16 de agosto de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Jovens querem o poder em Garanhuns

O que mais chama a atenção em Garanhuns, nessa fase de pré-campanha eleitoral, é a persistência de três jovens que desejam sair candidatos à sucessão do prefeito Silvino e tomar as rédeas do poder na cidade. O mais ousado, até agora, tem sido o presidente da Câmara, Sivaldo Albino (PSDB), que no domingo, dia 10, realizou uma festa de aniversário que acabou se transformando num dos maiores atos políticos dos últimos tempos.

O vereador começou a sonhar com a prefeitura desde que venceu a concorrida eleição para a presidência da Câmara, no final do ano passado. Administrando a Casa Raimundo de Morais, tem feito um trabalho inovador, criando alguns projetos interessantes, como o que leva às reuniões do Legislativo às comunidades e distritos do município. Além disso tem feito um bom trabalho de mídia, assessorado pelo publicitário Marcelo Jorge e pelo jornalista Carlos Eugênio.

Mas não só Sivaldo Albino, de 32 anos, quer tomar conta do poder em Garanhuns. Antes dele, quem vem se movimentando bastante é o padre Carlos André, 34, que mesmo morando em Roma há dois anos colocou seu nome nas ruas, como pré-candidato à sucessão de Silvino, passando a preocupar os grupos políticos mais tradicionais.

Embora tenha contra si a posição do bispo da Diocese, Dom Irineu, e dos católicos mais conservadores, padre Carlos é um obstinado, persegue seu desejo com determinação e quando retornar à cidade, no próximo mês, deve causar um grande alvoroço. Deve ser candidato pelo PT, tendo ainda na coligação o PV, o PSC, o PDT e possivelmente o PC do B.

O terceiro jovem que deseja entrar na disputa pela prefeitura é o advogado Jorge Branco, 27 anos, ex-secretário do município e filho do ex-deputado federal José Tinoco, que também foi vice-prefeito de Garanhuns. Filiado ao PFL, tendo como principal padrinho político o senador Marco Maciel, o ex-secretário tem estilo pessedista, mas transita bem principalmente no eleitorado mais jovem.