Garanhuns, 16 de agosto de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


A FESTA DE SIVALDO

Dos três políticos que fizeram festa recentemente, tentando se fortalecer como pré-candidatos à prefeitura, o que consegiu fazer o maior evento foi Sivaldo Albino, presidente da Câmara.

O aniversário de Márcio Quirino, no restaurante Garoa, juntou um número apenas razoável de pessoas, apesar da divulgação através de out doors e dos convites distribuídos por toda a cidade.

No mesmo patamar esteve o ato promovido pelo vereador João Inocêncio na Ascamug, com participação popular muito aquém da história do ex-secretário do prefeito Ivo Amaral.

Sivaldo, muito mais jovem, talvez muito mais ousado, botou pra quebrar. Se teve o apoio do prefeito, de empresários, de amigos vereadores, se usou a estrutura do cargo, pouco importa. O fato é que se sobressaiu.

Como Luís Carlos pouco se movimenta e os outros pré-candidatos da aliança formada pelo PMDB, PFL e PSDB têm pouca simpatia de Silvino, o presidente da Câmara tem boas chances de engolir todo mundo e sair candidato.


CIÚMES

A estrutura montada por Sivaldo Albino para trabalhar já começa a provocar ciumeira braba entre os colegas. No dia da festa do presidente da Câmara, um vereador questionava o "enriquecimento rápido"do parlamentar.

- Ora, se oito meses atrás, antes de ser presidente, ele estava quebrado, como é que agora tem esses instrumentos todos? - cutucou o colega de Casa de Sivaldo.


GASTOS

Tranquilo, o vereador Sivaldo Albino disse que na sua festa não teve que gastar nada do seu bolso nem da Câmara. Teve ajuda de muitos amigos, como o vereador José de Vilaço, que deu um boi para a farra e do prefeito Silvino, um dos mais felizes com o êxito do evento.


GASTOS II

O aniversário de Sivaldo não saiu por menos de R$ 10 mil. O próprio Marcelo Jorge, que veste a camisa do presidente da Câmara desde a eleição de vereador, admitiu que só os out doors custaram em torno de R$ 5 mil.


PFL

Entrevistado no Jornal Marano, o empresário Moisés Braga defendeu a união dos grupos de Tinoco e Ivo Amaral para fortalecer o Partido da Frente Liberal em Garanhuns. Jorge Branco, um dos pré-candidatos à prefeitura pelo PFL, espera uma definição do quadro para também colocar o nome na rua com mais ênfase.


BOM CONSELHO

Dr. Sales, que foi vice-prefeito de Bom Conselho, mas que pretende se afastar da política, informa que pesquisas realizadas naquele município, hoje, dão a Gervásio Matos o triplo de intenção de votos em relação a Daniel Brasileiro. O atual prefeito é apontado como uma decepção.


IDADE

O ex-prefeito de Garanhuns Amílcar Valença acha que dificilmente o povo do município elegerá um governante muito jovem. Por esse raciocínio Jorge Branco, Sivaldo Albino e padre Carlos teriam menos chances de que Givaldo e Bartolomeu, por exemplo, que já passaram dos 50.


SÃO BENTO

Está cada vez mais difícil para padre Aldo fugir à disputa eleitoral em São Bento do Una. Até na pesquisa do Palácio o religioso está na frente, aparecendo como a melhor opção de enfrentar Paulo Afonso. O organizado Sindicato dos Servidores Públicos de São Bento, ligado à CUT, deposita suas esperanças na candidatura do padre.


DOM MOURA

Um médico do Dom Moura disse ao colunista que o serviço que estão fazendo na maternidade do hospital, com a unidade em pleno funcionamento, representa um perigo. Segundo ele, mortes podem ocorrer, como aconteceu em Caruaru. Incrível é que a diretora da Dires barrou a entrada da imprensa no local.


CACIFE

O trabalho persistente de Givaldo Calado começa a dar resultados. As pesquisas internas feitas pelos partidos mostram que o vereador do PPS cresce regularmente a cada mês. Segundo o verereador Augusto Acioly, do grupo de Izaías, Givaldo tem hoje, seguramente, sete ou oito mil votos garantidos.


BODE

Modesta, a festa do vereador João Inocêncio, na Ascamug, saiu muito mais em conta. O ex-presidente da Câmara recebeu os convidados na maior simplicidade, oferecendo cerveja e bode do Sertão do Moxotó a quem o prestigiou.


A REFORMA DE LULA

A reforma da previdência aprovada na Câmara dos Deputados não foi a ideal, mas pela conversa dos governadores dá pra aliviar um pouco a crise, pela economia que proporcionará aos estados.

O presidente Lula, apesar de tudo, conseguiu em sete meses o que Fernando Henrique não teve peito para bancar em oito anos de mandato.

Se as esquerda burra, os porras-loucas e os privilegiados de menor e maior escalão ajudassem um pouquinho, até dava para o governo do PT andar mais rápido.

Jarbas andou lembrando de 1964 e tem toda razão. Embora não exista clima para golpe pode se inviabilizar o governo de Lula por radicalismos idiotas.

Vamos esperar que essa gente barulhenta tome juízo, afinal de contas superar a crise não é só tarefa do governo.