Garanhuns, 10 de maio de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Entrevista
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO CULTURAL

Carlos Janduy


Mostra de Artes Cênicas 2003

As inscrições para a X Mostra de Artes Cênicas de Garanhuns, que estão abertas desde o dia 28 de abril, serão encerradas no próximo dia 15. Os grupos interessados deverão comparecer ao Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, em horário comercial, para se inteirar do regulamento e formalizar a sua participação no evento, que mais uma vez oferece três categorias: Teatro Adulto, Teatro Infantil/Infanto-juvenil e Dança.

A Mostra que acontecerá no período de 26 a 31 de maio, foi idealizada pelos teatrólogos Marcos Freitas e Julierme Galindo, tendo sido comungada de imediato pelos artistas cênicos de Garanhuns e cidades vizinhas. A realização do evento é da Prefeitura de Garanhuns, através do seu Departamento de Cultura, desde a sua segunda edição.

O Grupo Diocesano de Artes, do Colégio Diocesano de Garanhuns, que já vem trabalhando desde o início do ano letivo em sua nova montagem, já sinalizou a sua participação na Mostra, que também tem a finalidade de selecionar espetáculos para o Festival de Inverno de Garanhuns. O Grupo Órion, que tem à frente o teatrólogo Gerson Lima, também está estudando a possibilidade de participar da seletiva.

Hoje, os apoios para montar um bom espetáculo, estão cada vez mais escassos. Apesar dessas dificuldades enfrentadas, nós torcemos muito para que o movimento de artes cênicas de nossa cidade não venha desmoronar de vez, comprometendo inclusive a Mostra, que é ainda uma porta, permitida pela FUNDARPE, para que nossos grupos (no máximo três) possam fazer parte da programação do Festival de Inverno em Garanhuns.


XIII Festival de Inverno em Garanhuns

Segundo informações de Waldéria Santana, diretora de cultura do município, o assessor especial de artes cênicas da FUNDARPE, Romildo Moreira, que por sinal é uma pessoa muita atenciosa com todos os grupos de teatro que se apresentam no FIG, anda um tanto preocupado com os cortes que estão previstos este ano no grande evento, pois ele esperava trazer entre outros bons espetáculos, três de projeção nacional, os quais sem dúvida, enriqueceria ainda mais a programção teatral deste ano.

As pessoas que sabem realmente a importância do Festival de Inverno, não só para Garanhuns, mas para o estado, esperam que o evento não sofra uma queda grande e comprometedora. Sabemos que os empecilhos são muitos para realizar um evento de tal porte, principalmente no patamar em que hoje se encontra, mas o que deve ser bem pensado e preservado com afinco é o principal objetivo do Festival.

Que as oficinas pedagógicas continuem semeando os seus saudáveis propósitos. E eu aproveito a oportunidade para aplaudir a grande baluarte dessas oficinas, Tereza Amaral, pela sua especial atenção a essa importante parte do Festival.

Que a Fundação Quinteto Violado continue trazendo para o Pau-Pombo, grandes instrumentistas, para a alegria do público especial que prestigia com entusiasmo a programação destinada ao parque.

Que a Av. Santo Antônio, não perca a riqueza cultural que tem sido apresentada nesses últimos anos.

Que o Parque Euclides Dourado continue arregimentando um ótimo público, para suas tendas, já consagradas no evento.

Que pelo palco da Esplanada Guadalajara, passem nomes da Música Popular Brasileira que realmente atraia o "bom turista" e que, acima de tudo, continue formando platéias que valorizem a boa qualidade musical. Não quero dizer com isso que não existam atrações mais populares de qualidade, claro que não, o que não pode é enveredar pelo pobre caminho da "submúsica", trazendo atrações apelativas, que, diga-se de passagem, já têm garantia forte na mídia e sempre estão por perto apresentando seus shows, se é que se podem ser chamdos de shows.

Há um pensamento muito interresante que diz mais ou menos assim: "macaco gosta de banana, porque só dão banana ao macaco". Não é preciso explicar, não é?

E que os artistas da terra, convidados para participarem do FIG, mereçam uma melhor atenção, principalmente da FUNDARPE.

Apesar de nossa preocupação com o Festival de Inverno deste ano, o melhor mesmo é esperar a programação oficial, ver o que acontece, para não sofrer antes da hora.


Bazar da Mamãe

O projeto Bazar da Mamãe, realizado no Centro Cultural, pela Prefeitura de Garanhuns, através do Departamento de Cultura, terá seu encerramento hoje. O evento contou com vários artesões de nossa cidade, que desde 1º de maio estão expondo seus belos trabalhos.

Que mais iniciativas como essas continuem surgindo, para que nossos artistas tenham mais uma boa opção de espaço e recebam a valorização merecida.


Lançamentos

Dia 25 de abril, foi lançado no Centro Cultural, o livro Eterna Conquista, de Adja de Moraes Vieira. A primeira publicação da escritora, trata-se de um relato sobre experiências vividas pela a autora, que busca passar, através delas, uma mensagem significativa ao leitor.


O cantor e compositor Paulinho Groove, que passou por várias bandas musicais e hoje tem uma carreira solo, já tem em mãos o master do seu segundo CD. A grande dificuldade agora é conseguir apoio para a chamada prensagem do seu novo trabalho fonográfico.

Sabedor da sua personalidade batalhadora, acredito plenamente que Paulinho não abortará o seu projeto. Uma luz há de surgir, pois um artista como ele merece, mais do que nunca, o seu lugar ao sol.


A banda Fogo de Menina, que tem à frente Roberto lima, um dos mais respeitados músicos do nosso estado, lançará seu primeiro CD, ainda neste semestre. O disco foi produzido com qualidade indiscutível. A escolha do repertório, os arranjos, os intérpretes, a execução dos instrumentos, enfim, a releitura de alguns grandes sucessos mundiais, certamente levará a banda a uma posição de destaque, ao lado de outros grandes grupos do gênero.

Fogo de Menina tem pouco tempo de existência, mas os músicos que a formam têm bastante experiência, inclusive de estúdio, tendo gravado muitos trabalhos para artistas solos e bandas de renome, em vários estados do Nordeste.