Garanhuns, 26 de abril de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Entrevista
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

COLUNA DE ULISSES

Ulisses Pinto


PEDRO/ULISSES - Lendo o se oportuno trabalho sob o título "Guerra do Agreste", do nosso amigo Pedro Jorge Silvestre Valença, na última edição deste jornal, que defendeu a nossa terra do apaixonado "médico famoso", de Caruaru, Rômulo Martins, tomamos a liberdade de acrescentar mais o seguinte, em prol da nossa Garanhuns e eleva-la ainda mais.

O nosso presidente é de Garanhuns, Luiz Inácio Lula da Silva, pois ele nasceu em Caetés, pertencente ao nosso município na época. Garanhuns teve dois bispos: Dom Acácio Alves, e Dom Antônio Campelo de Aragão. O primeiro é "emérito de Palmares", ex-aluno do "Diocesano" e o segundo, já falecido foi bispo de Petrolina. O dr. João Batista de Melo Peixoto, foi deputado federal por São Paulo e secretário da Fazenda daquele estado. O dr. Ruber van der Linden, foi grande jornalista, historiador engenheiro eletricista, criador e fundador do Parque Paulo Pombo, hoje com o seu nome. E a nossa Colônia de Férias do SESC é uma das melhores do país, vinculadas ao parque. O dr. Celso Vieira, poeta, historiador, da Academia de Letras do Brasil, nasceu aquí no sítio Cajueiro onde brevemente vai ser inaugurada pelo Governo Jarbas, uma barragem. Não é só a "Serra Branca" que tem água mineral. Existem várias, inclusive um poço familiar que fica na rua Santos da Figueira. Outra coisa: quando o então distrito de Serrinha, hoje, Paranatama, pertencia a Garanhuns, Lampeão, sua mulher "Maria Bonita" e o seu bando, não conseguiram tomá-la. Alguns moradores, inclusive os "caxiados", o botaram para correr. Estamos a lembrar dessa ocorrência. Éramos garotos e assistimos partir um caminhão cheio de soldados da cadeia (a mesma da Hecatombe) para defender o nosso valente distrito, porém voltaram da viagem, a imprensa deste estado publicou o fato. Garanhuns, é cidade pacata. Mas, faz das suas através do povo. Mais uma que a nossa história guarda. Quem tomou Maceió em outubro de 1930, foi a "coluna louca" (como era chamada), inclusive com alunos do nosso tiro de guerra, tendo à frente o capitão Mário Lira, figura heróica, que chegou das Alagoas ainda jovem. Aquí, foi dono de cartório, prefeito, deputado estadual, homem de sociedade. Foi Mário Lira que nomeou a tia de Pedro Jorge, Arlinda Valença para os quadros da prefeitura. Ela dizia: "Mário Lira, foi o prefeito da Instrução de Garanhuns". Não é preciso dizer mais nada. Existe uma rua em Garanhuns com seu nome (Heliópolis).

Outro fato importante: O "Rei das Vaquejadas", do Nordeste, era de Garanhuns. Trata-se do fazendeiro Luiz de Noronha Branco (Lula Branco), por sinal irmão do ex-depuatdo estadual Elpídio Branco, ambos falecidos.

O denodado "Lula Branco", foi agro-pecurista, político, juiz, jogador de futebol amador. O médico garanhuense Joaquim Branco, grande operador, é seu filho e reside no Recife. Djalma, que era do Vasco da Gama, foi seleção brasileira, é filho desta terra "Onde o Nordeste garoa". Outro esquecimento. O garanhuense jornalista e escritor, Romildo Maria Leite, atual diretor do Arquivo Público do Estado (Recife), tece num comentário, num dos seus livros a carreira do bando de Lampião na antiga Serrinha de Garanhuns, hoje independente com o nome de Paranatama.

Garanhuns, é a terra de águas cristalinas, não só da "Serra Branca", porém de outras. Tem o título também de "Cidades do clima maravilhoso".

Aproveitando o momento, quando escrever seu livro de histórias e "causos", de nossa terra, publique algo com o título "Os Valenças e suas presenças em Garanhuns (pode ser outra manchete), por ser de integral justiça, pois não se pode falar história desta terra do Magano, do rio Mundaú que nasce aqui e termina em Maceió, sem dizer algo dos seus familiares como por exemplo o mons. Adelmar, Almira, Arlinda e Amílcar Valença, seu genitor que foi vereador (3) e prefeito (2) desta terra de "Colinas Verdejantes" e de outras irmãos e irmãs.

Garanhuns, finalmente, teve outro prefeito já falecido que é de Garanhuns. É o nosso mano Aluísio Souto Pinto, ele é da antiga "Palmeira de Garanhuns", que na época era distrito deste município. Portanto, é garanhuense. Aluísio nasceu erm 1914 e em 1948, o distrito da Palmeira, passou a cidade com o nome de Palmeirina. É o mesmo caso de Lula que quando nasceu, Caetés, era distrito desta terra de Simoa Gomes de Azevedo.

Chefes de executivo do passado, da "Santa Terrinha": cel. Antônio Souto (primeiro prefeito), Manoel Jardim (2), Francisco Veloso da Silveira (2), Manoel Clemente, José de Almeida Filho, Júlio Brasileiro, Euclides Dourado, Souto Filho, Tomaz da Silva Maia, Antônio Isaac de Macedo, por sinal avô do ex-vereador Dinaldo Isaac de Macedo (Gato Preto), recentemente falecido e filho desta terra, Argemiro Tavares de Miranda além de outros.

Esta matéria faz parte de nossa história com dados da Câmara local ("História de Garanhuns", de Alfredo Leite Cavalcanti). A mesma é dedicada ao prezado amigo Pedro Jorge Valença que com altruísmo e sinceridade, vai cada dia, engrandecendo a terra dos "aguarás e anuns".