Garanhuns, 15 de março de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Entrevista
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Violência assusta população de Garanhuns

Núbia Kênia


A cidade de Garanhuns está vivendo uma época de completa violência, onde as pessoas não podem nem sair tranqüilas às ruas, muito menos deixarem suas casas trancadas por pouco tempo que seja, que logo são alvo dos bandidos cada vez mais ousados. E foi isto que aconteceu no pacato bairro de Aluisio Pinto, que devido a proximidade com a Cadeia Pública era mais temido pelos assaltantes. No último sábado, dia 08, três homens, ainda não identificados, um deles armado com revólver calibre 38, entrou na residência, situada a Rua Antônio de Almeida, pertencente a esteticista Jaciara Felix e fizeram uma verdadeira devassa, só que eles não contavam com a ironia do destino, que fez com que eles fossem flagrados pela proprietária quando já se preparavam para deixar o local levando muitos objetos de valor, roupas, entre outros.

Segundo a Esteticista, no dia da investida, por volta das 16 horas, ela foi assistir o jogo AGA X Sport na casa de sua irmã que fica na mesma rua. Ás 19 horas resolveu voltar para casa acender uma luz e colocar comida para seu animal de estimação, e assim o fez, pegando carona na moto de um primo. "Quando íamos chegando vi a luz do meu quarto acessa e estranhei. Ele ficou na moto e eu entrei e vi a casa toda remexida, então gritei que estava sendo assaltada. Meu primo veio em meu socorro. Só que nesse momento, os três elementos saíram correndo do quarto em direção a cozinha, saíram para o quintal e pularam o muro da frente da casa", conta Jaciara. Ela e o primo perseguiram os assaltantes até os dois quarteirões seguintes, mas os mesmo tomaram destino ignorado para a localidade mais conhecida como "Barreira do Inferno". A PM foi acionada, mas só chegou depois de 20 minutos, nada podendo fazer. Apesar de ter a casa toda revirada, a esteticista só percebeu a falta do controle do vídeo, possivelmente roubados pelo bando.

A reportagem do CORREIO SETE COLINAS esteve no Bairro Aluísio Pinto e constatou que quase que diariamente, muitas vezes em plena luz do dia, moradores vem sendo alvo dos bandidos, que assaltam, agridem e até estupram. Uma dessas vítimas, que não quer se identificar, diz que está apavorada. "Estou com muito medo! Recentemente, vinha do trabalho, às 12 horas, e fui abordada por um homem, perto do Centro Espírita Paulo de Tasso, que me roubou e ainda me bateu bastante porque tentei reagir. A própria Jaciara Felix e uma vizinha foram vítimas. Elas foram abordadas, em dias distintos, por dois homens de faca em punho e revólver, nas proximidades do Super Pérola até a Escola Dom Expedito Lopes."Desde 1979 que moro neste bairro e nunca vi tanta violência. Só existia ladrão de fundo de quintal, mas depois que instalaram o Presídio Feminino na Várzea, a situação de assalto ta alarmante, pois é do nosso conhecimento que muitos dos bandidos que estão agindo aqui são parentes das presas, oriundos de outras cidades. Precisamos da ação da Polícia Civil, PM e ROCAM, que não transitam aqui, pode ser que eles passem na Av. Lions, Av. Rotary, mais aqui não. Por isso, os bandidos se sentem livres para agirem livremente", desabafa.

POLÍCIA - Sobre o índice de violência em Garanhuns, a comandante do 9º BPM, Plínio Chaves, disse que segurança pública não é só a Policia Militar de Pernambuco, e sim um sistema que integram o Ministério Público. "Me reuni com o Delegado Regional e todos os delegados do Agreste Meridional e estamos montando um trabalho conjunto, integrado, de forma que a sociedade ganhe com isso, que já está surtindo efeito. Isto faz parte da minha nova visão de policiamento para Garanhuns", esclarece o Coronel. Além disso o comandante disse que além da ROCAM, que conta com 5 patrulheiros, foram intensificadas as blitzs nas mais variadas ruas da cidade, que resultaram na apreensão de armas de fogo, prisão de um bandido que praticava arrombamentos. "Este fato contribuiu para que nesse carnaval não houvesse nenhum arrombamento de casa ou veículo na cidade, segundo a ocorrência policial. Estou tomando várias medidas para que a população veja o policial na rua e se sinta mais segura", ressalta.

O Tenente Coronel da PM local diz ainda que para que o índice de violência diminua é preciso que a população colabore para ficar atento a qualquer comportamento suspeito, seja ele na rua, ao estacionar o carro, ao sair de casa, entre outros. E mais importante, que as pessoas denunciem nas delegacias ou até no Quartel da PM qualquer ação de bandido.

O Delegado Mozart Araújo, que há três semanas assumiu a DP Regional de Garanhuns, reafirma que já está integrado com a PM, como também que pretende fortalecer o trabalho da Polícia Comunitária para melhor coibir a ação dos bandidos na cidade. "Além disso, estamos revitalizando as delegacias a exemplo da 1ª DP que vai sair daquele prédio e ficará atrás da DP Regional. Quando digo revitalizar é buscar credibilidade junto à comunidade. Primeiro, estabelecer que nenhum trabalho é pequeno para nós, desde que seja de natureza policial, e segundo, toda informação tem que ser checada. Estamos criando, também, uma banco de dados e álbum com fotos, em todas as delegacias da cidade. Hoje, temos um mapa da cidade, bairro a bairro, isto é, quem tem ligações criminais e em que bairro mora. Então, trabalharemos com o policiamento preventivo atuando e o repressivo caminhando (que é o da investigação)", explica o delegado Morzart.