Garanhuns, 15 de fevereiro de 2003
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Entrevista
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Falta tudo no bairro da Bela Vista

No Conjunto Residencial Nilo Coelho (Bela Vista), na entrada de Garanhuns para quem vem de Arcoverde ou Caetés, falta tudo, em termos de infraestrutura: o bairro não tem uma rua calçada, o acesso a área é feito em estrada de terra, inexiste saneamento, escola somente até a quarta série e no posto de saúde é comum o médico não comparecer ao serviço sem maiores explicações.

Outro problema da Bela Vista é a falta d'água, mas aí não é um privilégios dos moradores do Conjunto Nilo Coelho. Outras áreas da cidade sofrem igualmente com esse problema. Só que por lá em alguns aspectos a questão é ainda mais grave, pois algumas ruas não dispõe ainda nem mesmo dos canos da Compesa nas casas.

"A gente aqui sofre, pois não tem saneamento, calçamento e água só raramente", reclama a dona de casa Maria Francisca da Silva, que reside no conjunto. Ela confessa que muitas promessas já foram feitas, para resolver os problemas do bairro, mas até agora nada de concreto foi feito.

Já Eranisse da Silva, outra doméstica que mora na Bela Vista, se queixa da falta de transporte para os filhos estudarem. É que na vila só existe a Escola Jaime Luna, atendendo somente até a quarta série. "Tenho uma filha que precisa fazer agora a 5ª série, mas vai ter de parar, pois não tenho dinheiro para pagar passagem", lamenta a senhora.

A dona de casa não entende porque antes, quando vivia no sítio, os filhos tinham transporte escolar, porém desde que veio morar na cidade perdeu esse benefício. "Acho que era um direito da gente ter esse transporte também aqui na Bela Vista, pois não temos condições de pagar a passagem de ônibus", complementa Eranisse.

Socorro Alice da Silva (é interessante como tem Silva no Conjunto Nilo Coelho), vizinha de Eranisse, sofre com o mesmo problema. Ela tem dois filhos que já terminaram a 4ª série e precisa mandá-los para o Ceru ou Elisa Coelho. "Meu menino tem de andar duas horas a pé todos os dias. Chega atrasado na escola e a professora reclama. Mas o que vamos fazer?", questiona Socorro.

Zenilda Oliveira da Silva, mais uma sofredora do bairro garanhuense, tem restrições ao funcionamento do posto de saúde da Bela Vista. Segundo ela, os médicos costumam faltar ao serviço e tem gente que vem do sítio para ser atendido e dá uma viagem perdida. "O posto podia funcionar um pouquinho melhor e ter mais medicamento", frisa dona Zenilda.

Segundo o secretário de Saúde de Garanhuns, Almir Penaforte, o posto médico do Conjunto Nilo Coelho tem atendimento diário, com ginecologista, pediatra e um clínico. No caso da falta de um dos profissionais, esclarece o secretário, o dia de trabalho é descontado. "Estamos atento a esses problemas e a meta é melhorar o serviço", garante.

Já o secretário de Planejamento do município, João Guido, revelou estar consciente dos problemas e disse que o prefeito Silvino tem prontos diversos projetos voltados para a comunidade da Bela Vista, inclusive nas áreas de saneamento e pavimentação de ruas. É desejo também da prefeitura fazer o acesso do bairro.