CIDADE

 

Festa de reivellon causa polêmica

Uma festa de reivellon marcada para aconteer em Garanhuns na Avenida Rui Barbosa, teve de ser suspensa por falta de autorização da prefeitura. O evento seria patrocinado pelo Bloco Pileke, à frente o empresário Alberto Cândido, o Betinho, que esta semana foi as rádios da cidade criticar o prefeito Silvino Andrade e prometeu entrar com uma ação contra o poder público.

Segundo Betinho, a festa foi solicitada através de ofício entregue na Secretaria de Turismo do Município no dia 27 de agosto deste ano. O empresário disse que tentou diversas vezes contato com o prefeito, mas não conseguiu, só recebendo uma resposta à sua solicitação poucos dias atrás, com o indeferimento do pedido.

O empresário pretendia levar à Avenida Rui Barbosa três trios elétricos e atrações com o grupo Patchanka e a banda Arte e Cia. O evento seria o coroamento da campanha "Natal Sem Fome", que vem sendo coordenada na cidade por ele. "Eu estou tendo prejuízo, não tenho como me justificar diante dos sócios do bloco que já compraram os abadás e a prefeitura terá de me ressarcir", declarou Alberto Cândido.

SILVINO - A justificativa de Silvino Andrade para vetar o uso da Rui Barbosa para a festa foi que a prefeitura ainda estava acabando a reforma da avenida e temia que os canteiros fossem danificados. Como o município está sem condições financeiras para bancar a proteção dos referidos canteiros, o prefeito optou pelo indeferimento à proposta do empresário.

Na entrevista que virou debate, no Jornal Marano, Alberto Cândido disse que a proteção dos canteiros da Avenida Rui Barbosa ficaria por sua conta, e assim não se justificava que a prefeitura vetasse a festa. Segundo o empresário, os secretários Paulo Barbosa (Serviços Públicos) e Jorge Branco (Turismo) teriam sido comunicados da sua disposição de custear a proteção dos jardins da avenida.

O prefeito Silvino Andrade, contudo, esclareceu através do mesmo Jornal Marano que os secretários tinham passado uma outra informação e por isso tinha negado a Rui Barbosa para o reivellon. "Se você está disposto a pagar a proteção dos canteiros pode realizar a festa", anunciou Silvino.

Já o secretário de Serviços Públicos, Paulo Barbosa, que também ligou para a Rádio Marano quando Betinho estava no ar, negou que o diretor do bloco Pileke tivesse anunciado sua intenção de bancar as despesas de preservação do espaço urbano.

A posição de Paulo foi reiterada por Jorge Branco que foi ainda mais longe: "O Betinho me disse que não poderia custear a proteção dos canteiros, que era muito dinheiro, cerca de R$ 6 mil. Alegou também que não conseguiria patrocinador para essa despesa".