COLUNAS

 

HUMOR

Raulzito


Deus me livre da Compesa

Esta semana fui na Rua da Foice e contratei um pedreiro. Um cara chamado Gardenal, que é nome de remédio para epilepsia, mas que lá em casa não vai ter a responsabilidade de curar os desmaios de ninguém. O sujeito vai simplesmente construir uma cisterna, para ver se me livro do flagelo da lata d'água.

É que na minha rua e no meu bairro, agora, só tem água quando Aluízio Alves e Roberto Almeida botam a boca no trombone, ou no microfone, o que é mais ou menos a mesma coisa.

A coisa tá tão ruim que ninguém aguenta mais o cheiro (cheiro?) do suvaco do pessoal preguiçoso que habita lá no bairro. Como eles já não gostam de tomar banho, como os franceses, aproveitam a ajuda do governo e inundam tudo com os seus odores... Não tem rexona que dê jeito.

O pior é que a própria diretoria da Companhia de Desabastecimento d'água de Garanhuns admite que tem água que só a porra ( vai ver tem muito neguinho se masturbando por lá) nos açudes de Inhumas e Mundaú.

A falta d'água, ou de vergonha, é por conta de umas bombas velhas que servem ao sistema. Dizem que as tais bombinhas foram implantadas aqui quando da hecatombe de 1917, por isso estão um pouco vencidas.

Segundo o vereador Chocolate, desculpem, Cacau, as bombonas custam a merreca de 70 reais cada uma e precisamos de quatro, que pela matemática da multiplicação resultariam na necessidade de 280 reais para diminuir o fedor de suvaco e xereca dos moradores das Cohab I e II, Indiano, Manoel Chéu, Brasília, São José e outros bairros da cidade dos odores, desculpem de novo, eu queria dizer das flores.

Como o governo não tem esse dinheiro todo para gastar no abastecimento d'água, uma vez que precisa manter o belíssimo presídio construído no bairro da Várzea, o jeito é cada um se virar.

Gardenal já começou a fazer minha cisterna, que vai ficar supimpa. Serão 12 mil litros do líquido mais precioso que se possa imaginar, e ainda posso mentir pra os meus amigos, dizendo ter feito uma piscina em minha fina residência.

Quando meu reservatório ficar pronto estarei livre da incompetência dos governos e poderei escrever nos jornais: Compesa nunca mais!


P. S. - Tenho esperança que alguém mostre esse artigo ou para o próprio governador Jarbas Vasconcelos ou para um babão de 3º escalão. Se isso acontecer, Sua Excelência poderá começar a entender porque levou uma surra do barbicha, nas urnas de Garanhuns. Até a próxima, amém.