COLUNAS

 

CORREIO CULTURAL

Carlos Janduy


FRAGMENTOS...

Muito bom dia, senhoras e senhores! Aproximem-se... aproximem-se todos. Nossa troupe tem a honra de convidar a distinta platéia para uma rápida viagem ao infinito mundo da poesia e da música.

Claro que visitaremos apenas um pedacinho dos inúmeros recantos deste mundo encantado. Aqueles que costumam passear por lá, juntem-se a nós, para que o número de sonhadores, neste momento, seja bem maior.

Recomendamos que tragam na bagagem o coração aberto, os olhos mansos, os ouvidos acolhedores e a alma transcendental.

Assim, aproveitarão muito mais essa viagem. O valor da passagem? Apenas a sua generosa atenção.

Portanto, embarquem conosco, desapertem os cintos e boa viagem!!!


Quando um dia

O tempo me cobrar

Os vacilos que não cometi,

Pedirei ao destino

Para ser generoso comigo,

Porque foi exatamente nesses tropeços

Que eu buscava me encontrar,

Para que ninguém soubesse, antes de mim,

O que me faltava para ser feliz.


(MÚSICA: "CAÇADOR DE MIM")

As estações do nosso encontro


Tinham sempre um tempo bom.


Suas oscilações serviam apenas

Para quebrar a rotina.


Hoje,


Nossas lágrimas alimentam o nosso inverno;

Nossas folhas caem no outono, mas as flores

também;

A primavera varre as sementes que sobraram

E o verão queima as boas impressões do passado.

- "Onde foi parar aquela coisa

Que havia para sempre entre nós dois?"

- Numa canção!


(MÚSICA: "POR ENQUANTO")

Quantas milhas separam

Uma dura realidade


De um sonho simples?


Quais são os riscos

Dessas águas multicores

Desse mar turbulento?

Será que neste barco,

Além de um coração,

Cabe também resignação?


(MÚSICA: "O PORTO")

Coração... Ansiedade... Existência...

Emoção... Liberdade... Evidência...


Falar o quê?

Explicar o quê?

A vida é tão rápida!

Não há tempo

E não deve haver tempo

Para as lembranças frias.

Mas o que fazer?


Acontece!


(MÚSICA: "ACONTECE")


A melodia eu ouvi,

mas não aprendi a cantar

nem pedaços dela.


A harmonia eu conheci depois,

Porque num poema cabem muitas notas

e o meu pentagrama é o universo

e a clave é um monte de sentimentos.


Uma nova canção está por vir.

Precisamos senti-la,

vivê-la e cantá-la

sem desafinar.

Sem desafinar!

Sem desafinar!!

Sem desafinar!!!


(MÚSICA: "SE BASTASSE UMA CANÇÃO")


* * * * * * *

O que o leitor acabou de ler é um pequeno Recital em homenagem aos 100 Anos do Nascimento do nosso maravilhoso poeta Carlos Drummond de Andrade, apresentado com exclusividade, pelo Grupo Diocesano de Artes, dentro das festividades de aniversário da Escola Jerônimo Gueiros. O Colégio Estadual, assim também conhecido, comemorou seus 41 anos de contributo à nobre causa da educação, com um vasto programa. De parabéns, portanto, todos que fazem este renomado estabelecimento de ensino, que hoje tem à frente o Prof. Severino Sabino Filho (Sílvio).

Ainda sobre o Recital, os poemas e a direção são deste colunista; as músicas de Beethoven, Sérgio Magrão / Sá, Renato Russo, Carlos Janduy e Eros Ramazzotti / Piero Cassano / Cogliati; a maquiagem de Sandra Albino e o figurino do próprio grupo.