POLÍTICA

 

Silvino nega retaliação ao vice-prefeito

Depois de acusado de ter "despejado" o vice-prefeito Márcio Quirino do seu gabinete, o prefeito Silvino Andrade negou, através de nota oficial, que o ato de contenção de despesas tomado depois da eleição tenha qualquer conotação política. "De acordo com ofício circular de nº 269, foram adotadas medidas de contenção de gastos em todos os níveis de administração", garantiu o chefe do Executivo local.

De acordo com Silvino, a economia com as medidas adotadas destina-se à melhoria no atendimento à população que mais necessita. "Que seja dado ao ato caráter estritamente administrativo, encerrando dessa forma qualquer outro sentido", finaliza o prefeito. Antes da redação da nota, o líder governista reuniu todo secretariado, discutindo a resposta que devia dar a Márcio Quirino.

A polêmica entre o prefeito e o vice começou no meio da semana, quando Márcio, assim como os secretários do município, receberam ofício comunicando as medidas de contenção de despesa. Achando que estava sendo retaliado politicamente, por não ter votado em Aurora Cristina e sim em Romário Dias, o vice-prefeito levou o caso ao conhecimento público, tendo a notícia sido divulgada inclusive na Ronda Policial.

Depois, o fato chegou até à imprensa da capital, com uma matéria do Diario de Pernambuco dando destaque ao "despejo" do vice-prefeito do seu gabinete. Além da nota de Silvino negando retaliações, o PMDB de Garanhuns, através do seu presidente, José Hilton Paixão, também divulgou uma nota rebatendo e criticando Márcio. Segundo o dirigente peemedebista as acusações do vice são inverídicas e ele não foi candidato a deputado porque não teve coragem de assumir uma posição, quando teve apoio para isso.