COLUNAS

 

HUMOR

Raulzito


Pra deixar de ser burro

O Correio Sete Colinas é um jornal pra lá de democrático. Aqui tem voto para todos os candidatos a presidente. Rafael Brasil, um dos mais queridos colaboradores, é defensor doente da candidatura de José Serra. O editor geral, Roberto Almeida, uma hora elogia Lula, outra hora reconhece que o ex-ministro da Saúde é o mais preparado e parece que só decidirá seu voto no último minuto do segundo turno ou da prorrogação.

Ulisses Pinto, outro valioso colaborador, vota em Patrícia Pillar, ou seja, em Ciro Gomes. Ronaldo César é Lula, Kitty Lopes e Núbia Kênia são Serra desde pequeninas e o doido do Raulzito adotou o slogan "agora é Lula", para não deixar ninguém com nenhuma dúvida sobre o seu voto.

Janduy dá pra desconfiar que vota em Lula e Tiago Salsicha, conhecido na Faga como Agostinho, deverá serrar fileiras ao lado de José Serra.

Feita esta introdução, para mostrar que o Correio não está a serviço de nenhuma candidatura, como pode dá a entender o título acima, vamos às notas que o Raul nos mandou esta semana, registrando os "melhores momentos da atual campanha política":
1. A campanha mais elegante para governador de Estado acontece no vizinha Alagoas. Ronaldo Lessa, do PSB, usou num comício a expressão "um cacete", numa referência a Collor de Melo. O ex-presidente não perdeu tempo e mandou fazer out doors e panfletos dizendo que quem gosta de cacete é o atual governador. Pela insistência com que falam do dito cujo, talvez os dois políticos gostem igualmente do instrumento..
2. Em Minas, o candidato a governador Aécio Neves, do PSDB, aproveitou um comício e chamou Lula de presidente. Poucos dias depois, ao lado de Serra, criticou o petista. O troféu "em cima do muro" desta campanha vai para o neto de Tancredo, que está perdoado, pois além de tucano é mineiro.
3. O TRE é a principal estrela da campanha em Pernambuco. Como Jarbas não tem adversário na eleição, os juízes do Tribunal resolveram aparecer: proíbem tudo que se refira à política. Nos programas eleitorais só pode-se falar de futebol (daí o candidato Ilo Jorge declarar que é torcedor do Santa Cruz) , de religião e de prendas domésticas. Até as videocassetadas do Faustão e as gozações da turma do Casseta e Planeta foram censuradas pela democracia do TRE-PE.
4. Maluf, o candidato competente, que compete, compete e não pára de perder criticou a desativação do Carandiru pelo governo do Estado. Como o tal monstrengo resulta em perder votos, no outro dia o político paulista voltou atrás. Mas talvez Maluf tenha razão. O Carandiru podia ficar em pé, mandavam tirar os bandidos tudo de lá e despachava pra Amazônia, como defedeu o pepebista, enchendo o presídio de um monte de picaretas que infestam o Legislativo e Executivo brasileiros.
5. Ninguém notou ainda, mas em Garanhuns tem um candidato a deputado federal chamado Ninguém. Como ninguém vai votar nele, depois da eleição ele continuará a ser o que sempre foi: um ninguém.
6. Na cidade de Jupi ex-aliados do padre Ivo fizeram um comício e baixaram o pau no prefeito. Só não chamaram sua excelência de santo. Depois da falação o vereador Marquinhos e o vice-prefeito Dr. Fernando explicaram: "Ora, se chamássemos ele de santo ia ser o maior protesto no céu e estaríamos condenados ao inferno!"
7. Mas pra não dizer que só escrevemos sobre as coisas ruins da campanha vamos elogiar os colírios dessas eleições: Patrícia Pillar e Rita Camata. Se as duas lorinhas estivessem na cabeça da chapa eu fazia feito o Ulisses: votava nas duas!