POLÍTICA

 

Romário Dias transforma Silvino em inimigo número um

Romário de Castro Dias Pereira, 59 anos, nasceu em Sergipe, mas logo aos dois anos chegou em Correntes, a pouco mais de 30 quilômetros de Garanhuns, onde passou a infância e parte da adolescência. Morou dois anos na Suíça Pernambucana, tendo oportunidade de estudar no Colégio Diocesano e passar pelas aulas de civilidade do Monsenhor Adelmar da Mota Valença. Não esqueceu esse tempo, e quando da morte do religioso, no início deste mês, dedicou uma sessão da Assembléia Legislativa à memória do ex-diretor do gigante da Praça da Bandeira.

O pai de Romário, Mário Dias, foi prefeito de Correntes, contudo o atual dirigente do Legislativo Estadual iniciou a vida política como vereador do Recife. Agora, já está no quarto mandato de deputado estadual e tudo indica que emplacará o quinto, pois tem o apoio de 12 prefeitos de Pernambuco, 10 deles da região do Agreste Meridional, dentre eles Marquidovel Vieira (Lagoa do Ouro), Nivaldo Lúcio (Correntes), Chau Roldão (Paranatama), Luiz Tenório (Iati) e Daniel Brasileiro (Bom Conselho).

Entrevistado pelo editor do CORREIO, jornalista Roberto Almeida, Romário Dias discutiu a questão dos cargos de confiança do Governo do Estado em Garanhuns, todos nomeados por ele; respondeu as críticas que tem recebido do prefeito Silvino Andrade e partiu para o ataque. Elegeu o chefe do Executivo local como seu adversário número um, na política do Agreste, e previu a "falência política" do líder peemedebista, a quem chama de "estreito e pequeno".

CORREIO - O prefeito Silvino Andrade tem batido muito na questão do cargos de confiança do Governo aqui na cidade, que foram indicados todos pelo Sr. Como o deputado reage a essas críticas?
ROMÁRIO - Eu acho que com relação aos cargos de confiança em Garanhuns, que são regionais e não locais, pela primeira vez o prefeito falou a verdade, ele não mentiu. Agora, é importante saber que os cargos são regionais e eu fui o deputado mais votado no Agreste Meridional. E estive com Jarbas Vasconcelos desde o início, pois o PFL foi o primeiro partido a apoiar sua candidatura ao Governo do Estado. Já o prefeito Silvino era do PFL e no momento em que viu a possibilidade de derrota com Gustavo Krause passou para o PSB de Arraes. Depois, quando Dr. Arraes foi derrotado o prefeito imediatamente passou para o palanque de Jarbas que nem ao menos queria recebê-lo no Palácio. Só recebeu porque eu e o ex-prefeito do Recife, Roberto Magalhães, intermediamos e conseguimos que ele fosse aceito no PMDB. O governador, por sinal, ia abonar a ficha de filiação do prefeito de Garanhuns no Recife, no entanto eu sugeri que ele viesse à cidade e Jarbas veio a um almoço na casa de Silvino para assinar a ficha de filiação aqui no município.

Eu vejo que o prefeito está querendo fazer política de uma forma muito pequena e muito estreita. Ora, se você comparar esta região a um corpo humano, Garanhuns seria a cabeça e as outras cidades seriam os braços, as pernas, o pulmão... Não podemos fazer política esquecendo Lagoa do Ouro, Correntes, Bom Conelho, Capoeiras, Caetés, Lajedo, Paranatama, Jucati, Iati e os outros municípios. O desenvovimento aqui, entre Garanhuns e as outras cidades, tem de ser harmônico. Se o prefeito Silvino quer que as coisas aconteçam só na Suíça Pernambucana ele comete uma grande equívoco.

CORREIO - Mas o prefeito alega que alguns órgãos dirigidos pelos Sr., a exemplo do DER, têm prejudicado o município de Garanhuns quando poderiam ajudar...?
ROMÁRIO - Não é verdade. O DER tem feito um trabalho extraordinário aqui na região e é só conversar com todos os prefeitos para saber se existe alguma reclamação em relação ao DER, a Dires, a Dere, Ciretran ou qualquer um desses órgãos. Repito que essa é uma atitude muito estreita de Silvino, a forma como ele faz política. Eu acho que ele deveria ter continuado lá na Paraíba, com todo respeito àquele Estado, e não ter vindo aqui para Pernambuco, tentando prejudicar a imagem de pessoas sérias e corretas que fazem política aqui na região. Tem um ditado que diz: "o futuro a Deus pertence". E o povo vai ver o futuro político e profissional de Silvino em Garanhuns, que tem dado demonstrações de tanta pequenez que com certeza não vai ter ambiente de continuar nesta região.

CORREIO - Caso o Sr. se reeleja e a primeira dama do município não consiga um mandato, os cargos de confiança aqui do Agreste continuarão sendo ocupados pelos mesmo critérios atuais?
ROMÁRIO - Não é só aqui em Garanhuns. Os critérios são os mesmos em todas as regiões do Estado. O deputado José Marcos foi o mais votado no Pajeú e indicou todos os cargos em Arcoverde, embora não tenha sido o mais votado naquela cidade, mas o foi naquela parte do Sertão. Na indicação dos cargos de confiança regionais do Agreste você pega a professora Cleonice Vaz, que é uma excelente técnica, ela é de Correntes e ocupa a direção da DERE. Neilson Falcão, é de Garanhuns e ocupa a direção da Dires. O coordenador do Ciretran é de Lagoa do Ouro e o ex-diretor do DER é de Palmeirina. No final todos os municípios da região foram contemplados com pessoas competentes para trabalhar por Garanhuns e por todo o Agreste. Por que Silvino não contestou a indicação desses cargos quando ele precisou de R$ 700 mil para fazer o saneamento básico de Lacerdópolis e Cohab um e conseguiu esses recursos por meu intermédio, que levei o ofício ao governador e fui atendido?

CORREIO - Quais são as principais ações que o deputado desenvolveu por Garanhuns e região, nos últimos quatro anos?
ROMÁRIO - Pela região nós fizemos mais de três mil eletrificações rurais. Conseguimos muito na área de pavimentação, e citaria as estradas que ligam Lajedo a Calçado, Lagoa do Ouro a Correntes. Posso falar dos acessos as cidades todas, que foram pedidos por mim; vários municípios que tiveram melhoria nos sistemas de abastecimento d'água; conseguimos investimentos na saúde, com o secretário Guilherme Robalinho e na área de educação temos feito um trabalho privilegiando principalmente Garanhuns. Dos R$ 700 mil que falamos há pouco, inclusive, o prefeito usou R$ 100 mil para terminar a entrada da cidade, conforme ele próprio confessou. Se não fizemos mais pela cidade foi por conta dessa intransigência do prefeito daqui. Infelizmente, ele está querendo fazer política comigo no campo pessoal e se é esse o desejo eu também topo. Agora, eu gostaria é de trabalhar no campo das idéias e de propostas.

CORREIO - E quais são as suas propostas para o futuro?
ROMÁRIO - Olha, eu tenho conversado com os deputados André de Paula, com Inocêncio Oliveira, com Armando Neto, atual presidente da CNI, para que a gente possa carrear mais indústrias aqui pra Garanhuns e toda região. Temos de pensar em criar mais empregos, melhorar o sistema viário local, melhorar cada dia mais a rede escolar, recuperar o plantio do algodão e do café. A região é bastante fértil e devemos investir nisso tudo. Em Garanhuns, acho que devemos privilegiar o turismo. Infelizmente, nem mesmo nessa área o prefeito Silvino investiu corretamente, pois a única obra de vulto que ele conseguiu foi um presídio para trazer detentas de outras cidades pra cá.

CORREIO - Como o Sr. está acompanhando as disputas para o Governo de Pernambuco e a presidência da República?
ROMÁRIO - Jarbas tem feito um trabalho extraordinário, um serviço de reestruturação de Pernambuco, que lamentavelmente foi entregue numa situação de decadência profunda. O governador faz uma grande administração e por isso será reeleito com facilidade. Acredito que também os dois senadores da coligação União por Pernambuco, Sérgio Guerra e Marco Maciel serão eleitos, pois são dois homens públicos sérios, inteligentes, com relevantes serviços prestados ao Estado.

CORREIO - E a eleição para presidente da República?
ROMÁRIO - Eu voto em Serra. Desde o início que tenho muita simpatia pela candidatura do senador, que conheci na época em que fazia política estudantil na Universidade Federal de Pernambuco; nesse tempo o Serra era presidente da UNE. Ele fez um excelente trabalho como senador, como ministro do Planejamento e como ministro da Saúde. É um extraordinário homem público e espero que a partir da propaganda eleitoral do rádio e televisão tenha condições de recompor sua posição nas pesquisas.