COLUNAS

 

HUMOR

Raulzito


Precisa-se de um revisor

Raulzito ficou triste, quando soube que o último número do CORREIO SETE COLINAS saiu com mais erros de português do que letra de banda de forró. Culpou a Viviane, que não sabe ler, pelas incorreções de sua coluna e sugeriu ao editor do jornal a contratação urgente de um revisor.

"Imagine você uma banda do quilate da Calypso ter seu nome grafado com i. Isso é uma indignidade. Soube até que a assessoria do grupo irá passar um e-mail para o jornal, protestando contra esse erro e o artigo do Marcelo Jorge, que esnobou a Joelma", disse o Raul.

O colunista defendeu também que se defina como escreve naylon, se é com y ou com i; e Tiago, que às vezes aparece com i e logo em seguida vem com h.

- Parece que vocês têm perseguição mesmo com esse repórter, o Thiago Correia. Além de não colocarem o h botaram o apelido dele errado: Salcicha com c é lasca! Só se for da marca São mateus, que é a pior que tem. Estão desaprendendo!

O editor ainda tentou argumentar que era muito trabalho para uma só pessoa, que nem todos os artigos passam pela revisão, mas não adiantou, Raulzito estava irredutível e cobrou:

- Ou contratam um revisor ou me demito! - ameaçou.

Somente depois de uns dias é que o chefe de redação do jornal descobriu a preocupação de Raul com o vernáculo. Ele simplesmente foi informado que o colunista está de olho numa cadeira da Academia de Letras.

- De Garanhuns não, do Brasil! - confirmaram ao editor.

E o raulzito, colocado no campo da parede, abriu o jogo:

"Ora, se o Pitangui (meu Deus, escrevi errado!) entrou, o Sarney também e agora o Paulo Coelho, por que eu não posso sonhar com o fardão?

"Por isso, seu Roberto, não posso escrever num jornal que deixa passar cede (no sentido de sediar) com s, ignora se Jungman é com um n ou dois enes e erra o nome até da mulher do prefeito.

"Quero a academia sim e por isso preciso caprichar. Mas se eu escrever certo e o Correio publicar errado como vou poder tomar chazinho com os imortais?

"Por amor de Deus, contratem um revisor!", encerrou, dramático, o raulzito.