CIDADE

 

Colégio Quinze lança projeto inovador em Garanhuns

A cidade de Garanhuns foi contemplada, na semana passada, com o lançamento do Projeto "Garanhuns resgatando seu passado, projetando seu futuro", idealizado pelo Colégio Presbiteriano Quinze de Novembro. O evento aconteceu no Teatro Alfredo Leite Cavalcante e reuniu direção, professores, pais e alunos que integram a equipe do Quinze, como também, muitos educadores oriundos de outros colégios e escolas de Garanhuns. O ponto alto do encontro foi a participação dos palestrantes convidados, o renomado psicólogo Luiz Schettini Filho, professor da Universidade Federal de Pernambuco, e o diretor geral da Sapiens( Centro de Formação e Pesquisa), Márcio Gomes.

De acordo com o pastor Edson Dantas, diretor administrativo do Colégio, o Quinze tem duas palavras que estão norteando toda filosofia do trabalho desenvolvido, que são tradição e modernidade. Sendo assim, o objetivo do projeto é resgatar algumas tradições vividas e bem sucedidas no Colégio, estudar o presente, considerando seus aspectos sociais econômicos, ambientais e culturais, como também, e projetar o futuro em Garanhuns, desenvolvendo propostas de melhoria para a cidade. "Estamos caminhando pela modernidade, buscando o que tem de melhor, não só em termos de infra-estrutura, mas principalmente no aspecto pedagógico" afirma o diretor.

Para que esse projeto fosse desenvolvido o Colégio Quinze firmou uma parceria com o Sapiens (Centro de Formação e Pesquisa), que também é responsável pelos grandes eventos de educação pedagógica que tem acontecido em Pernambuco. "Com isso queremos contribuir com a cidade, como o tema sugere este ano, envolvendo todo alunado para ele desenvolver as suas inteligências múltiplas. Estamos caminhando no sentido de manter o que temos de melhor, em termos de tradição, e buscando o que tem de melhor contemporaneamente falando", explica pastor Edson.

Ainda durante a apresentação do projeto o Consultor da Sapiens, Márcio Gomes, falou das " Mudanças na Educação e o trabalho com projetos" , onde enfatizou que o importante não é a quantidade e sim o saber. Pois, não se pode colocar de lado um aluno que não sabe essa ou aquela matéria, porque se tem que valorizar todas as áreas. Outro ponto destacado por Gomes foi que a escola tem que preparar o aluno para o mundo lá fora, a importância da educação infantil e a utilização da metodologia científica com suporte no trabalho com projetos. "Muitas pessoas acham que ser o melhor da turma é tirar nota dez. Pois bem, nem todo aluno nota dez vence na vida. Preparar o aluno para o mercado de trabalho não é só preparar o aluno para tirar dez", ressaltou.

Já o psicólogo abordou a questão da convivência entre pais, filhos e escola, e chamou a atenção dos pais, para essa responsabilidade, pois não é a escola que faz tudo sozinha na educação da criança, mesmo no aspecto do ensino. Para Schettini se não houver uma estrutura afetiva adequada dentro da família, esta criança terá menos condições de absolver o que escola pode passar para ela. "Não basta que a escola seja eficiente no sentido pedagógico, é preciso que os pais se integrem na escola, e para isso tenham integração com os filhos. Há pais que exercem grandes pressões pedagógicas nos filhos, e se esquecem de exercer expressões afetivas", enfatiza o psicólogo.

O professor José Joaquim da Cruz, que é diretor técnico pedagógico, e consultor escolar para montagem de uma faculdade para o colégio, além de destacar a importância do projeto para a cidade, revelou que até o fim do ano será criada a Faculdade Integrada Quinze de Novembro, e até o ano 2010 serão instaladas cerca de doze cursos universitário, a começar por Direito, Computação, Enfermagem, Ciências Contábeis e Psicologia.

OPINIÕES - Durante toda a apresentação do projeto o público permaneceu atento ao conteúdo dos palestrantes. Este foi o caso da funcionária pública, Kézia Cardoso, que disse está maravilhada como as explanações, principalmente a de Schettini, que mostrou com as mães cometem alguns erros, que podem ser resolvidos com bastante simplicidade. "Como mãe e professora que sou, percebi que é muito importante parar e ouvir meus filhos, e ter mais o contato físico com eles. Isto vai refletir no se desempenho para a vida" afirma.

Alda de Siqueira, também mãe de aluno, revelou que muitas práticas exibidas nas palestras são adotadas por ela em casa. "Esse projeto do Quinze não só está ensinando a meu filho, mais também me ajudando a entender melhor que a escola é uma extensão de casa. Tudo depende do relacionamento que terei com meus filhos, fazendo com que ele seja mais firme em suas decisões" destaca Alda .

Para a coordenadora do Quinze, Delzuita de Almeida, a palestra enriqueceu a vivência e enfatizou aspectos significativos na educação dos filhos, e no trabalho do professor em sala de aula. "Os assuntos atuais das palestras nos mostraram que o nosso viver, a nossa forma de ser, de educar, é o que vai fazer com que o aluno aprenda, não é o que a gente quer ensinar, mas aquilo que agente é. Isso vai trazer não só aprimoramento para nós do Colégio Quinze de Novembro, que estamos inseridos nesse projeto, mas também para todos os pais e representantes de outros colégios que estiveram presentes neste evento", finalizou.