GERAL

 

Assassinos dos irmãos Cardoso confessam crime

Núbia Kênia


Um dia depois do duplo homicídio que chocou a cidade de Garanhuns, no qual foram assassinados por asfixia o advogado aposentado Antônio Manoel Cardoso de Oliveira, 65 anos, e sua irmã a aposentada Luizete Cardoso de Arruda, 78 anos, o delegado Jorge Cordeiro, responsável pelo inquérito, revelou o nome dos assassinos confessos dos irmãos, são eles: Roberto Luiz Barbosa, marido de uma sobrinha das vítimas, que confessou a autoria do crime, praticado com a ajuda de Eduardo, 18 anos. "Depois de quase um dia sendo interrogados pelo delegado Jorge, na presença do promotor, Alexandre Bezerra, eles assumiram a culpa", revelou o juiz aposentado, Francisco Gueiros, sobrinho das vítimas. O promotor público Alexandre Bezerra também confirmou a versão do juiz.

Os acusados foram presos poucas horas depois, nas proximidades da residência das vítimas, ao serem apontados pela própria família Cardoso, que tinha conhecimento do passado nebuloso dos suspeitos. "Eles sempre queriam extorquir dinheiro dos tios. Recentemente brigavam por uma herança de uma casa no bairro do Indiano", conta uma sobrinha que não quer se identificar. Os assassinos estão presos na Cadeia Pública de Garanhuns aguardando julgamento.

CRIME - O crime aconteceu na residência das vítimas, à Avenida Rui Barbosa, 671, possivelmente na madrugada do último dia 04, mas os corpos só foram descobertos por volta das 10 horas da manhã. Segundo averiguou a policia, os irmãos foram encontrados depois que a empregada Cícera, mais conhecida por "Pretinha", ao chegar para o trabalho, tocou na campainha diversas vezes, mas não obteve resposta. Então, resolveu colocar uma escada na janela do quarto da aposentada, e percebeu que a mesma se encontrava emborcada, numa posição estranha. A doméstica chamou, então, o sobrinho dos irmãos, Dr. Saulo Rocha.

"O médico quebrou a janela e ao entrar encontrou os tios sem vida a a polícia entrou na casa, os irmãos estavam, cada um em sua cama com uma sacola plástica na cabeça. O senhor Antônio estava com alguns arranhões no rosto demonstrando que houve luta corporal com os assassinos", relatou o delegado Jorge Cordeiro. Já por volta das 15: 30 horas foi que as peritas chegaram do Recife, e confirmaram a morte de ambos por asfixia, revelando também que o ancião foi golpeado na cabeça. Os corpos foram levados para perícia no IML da capital Pernambucana, e o Laudo deve ser concluídos em 10 dias. O enterro aconteceu na manhã do dia 06, no Cemitério São Cristóvão, sob forte comoção dos familiares e amigos.